PUBLICIDADE

Clássicos: Tankard – “The Morning After” (1988)

Noise Records

O Thrash é o subgênero do Metal que muitos definem como uma simples junção de caos, violência e sangue. Eu acho um absurdo tais definições simplórias, até porque, todo mundo sabe que o Thrash é uma junção de caos, violência, sangue…E cerveja. Em 1988, o ávido publico consumidor de música pesada, já sabia como um bom registro de “Rock Paulera” soava, numa época onde o Thrash Teutônico caminhava em passos largos para sua consolidação mundial. Sodom, Kreator e Destruction emergiam gradativamente, cada um fazendo seu Thrash distinto, porém nenhuma banda fazia um “Alcoholic Metal” como o Tankard, aliás, nenhuma banda até os dias de hoje faz algo no nível dos caras.

   

“The Morning After” foi lançado em 1988, e produzido pelo padrinho do Thrash Metal Teutônico, Harris Johns. Harris foi peça fundamental no desenvolvimento do Metal extremo Europeu, a produção de seus álbuns são indefectíveis até os dias de hoje, e não seria diferente com os “Reis da Cerveja”.

A melhor maneira de definir o terceiro registro dos alemães beberrões é, uma “Rifferama” sem igual, uma loucura. São riffs insanos em sequencia, uns mais simples e outros extremamente mirabolantes, ao mesmo tempo em que o jovem Andreas Geremia berra, grita e se esgana nos vocais da maneira mais lunática possível. A manhã da ressaca abre com uma intro curiosa e hilária, onde podemos ouvir um antigo telefone de disco sendo utilizado, impressionante como o som deste tipo de telefone é inconfundível. Alguns segundos após a intro, temos “Commandements”, onde o registro começa de fato, com dois minutos e cinquenta de pura pancada e agressão sonora.

A loucura alcoólica continua em “Shit-Faced”, onde podemos ouvir aquela junção inconfundível que o Tankard faz entre o mais puro Punk e o Thrash mais técnico e complexo, a sensação de estar escutando uma serra elétrica desenfreada, destruindo tudo pela frente.

“TVHero” tem aquela essência Crossover oitentista pura, podre e insana. A quinta faixa do registro, “F.U.N”, já se inicia com uma ótima e cômica linha de baixo, cortesia do lendário Frank Thorwarth, que permanece no Tankard desde seus primórdios, até os dias de hoje. “Try Again”, cover da banda Spermbirds, talvez destoe um pouco do resto da faixas anteriores, ou talvez se encaixe perfeitamente, depende do seu humor do momento.

Chegamos então na faixa título, o verdadeiro hino e choro dos alcoólatras de plantão…”Agora meu cérebro parece purê de batata / Ficando doente / Eu juro que vou me livrar desse hábito desgraçado, e nunca mais beber.” Faixa ironicamente impossível de se escutar durante o período da ressaca, devido ao seu alto teor de agressão sonora.

“Desperation” continua a pancadaria sem direito a pedir água. É nessa canção que afirmo com tranquilidade, que “The Morning After” não fica devendo em nada para os mais clássicos e renomados registros de Thrash, é a mais genuína amalgama entre o som mais direto e o mais rebuscado. “Feed The Lahocla” pode não ser a melhor música do álbum, mais com certeza é a favorita desde que vos escreve, é a canção pra se travar a coluna cervical por uns 3 dias. Ela abre com um dos mais tenebrosos gritos do Sr, Andreas Geremias, quando ele ainda conseguia fazer isso com facilidade. “Help Yourself” é mais do mesmo citado acima, Thrash, água, malte e lúpulo. “Mon Cheri” é sem dúvidas um dos momentos mais lunáticos da discografia do Tankard, uma loucura sem tamanho, quarenta e oito segundos de pura alucinação sonora, uma maravilha.

Não é difícil entender porque o Tankard é considerado o Anthrax do Thrash alemão, a irreverência, o senso de humor e capacidade de tocar em temas sérios de maneira despojada são características bem semelhantes em ambas, mas digo sem medo, que o Thrash que o Tankard faz é único, e o terceiro registro dos “pingunço” prova isso com maestria. Apesar da imagem cômica de “Alcoholic Metal Band”, a banda vem colecionando um clássico após o outro, se mantendo firme em suas tradições.

Nota : 8,7

Integrantes:

Andreas “Gerre” Geremia (Vocal)

  • Frank Thorwarth (Baixo)
  • Axel Katzmann (Guitarra)
  • Andy Boulgaropoulos (Guitarra)
  • Oliver Werner (Bateria)

Faixas:

  • 1. Intro
  • 2. Commandements
  • 3. Shit-Faced
  • 4. TV Hero
  • 5. F.U.N
  • 6. Try Agan ( Spermbirds cover)
  • 7.The Morning After
  • 8. Desperation
  • 9.Feed The Lahocla
  • 10. Help Yourself
  • 11. Mon Cheri

Redigido por: Vaz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Veja também

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PARCEIROspot_img

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
220SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações