PUBLICIDADE

Resenha: Uriah Heep – “Chaos & Color” (2023)

“Chaos & Color” é o vigésimo quinto full lenght da banda britânica de Hard Rock, Uriah Heep.

   

Com quase 54 anos de existência, Uriah Heep presenteou, no último dia 27 de janeiro, seus fãs com o vigésimo quinto full lenght de sua existência. Ele sucedeu o já elogiado “Living The Dream” de 2018, conseguindo, surpreendentemente, superar todas as expectativas que pairavam no ar sobre sua qualidade.

URIAH HEEP / Photo By: George Quartz

Mick Box, o Mago

O mago Mick Box acertou de novo! Pois é, Mick mostrou estar em excelente forma com os seus solos movidos pelo mais puro feeling e pelo seu já conhecido Awah Awah.

Bernie Shaw está cantando acompanhado do talento que sempre lhe pertenceu e lhe acompanhou; Enquanto, Phil Lanzon incorporou a alma de Ken Hensely em momentos chaves da obra; Dave Rimmer provou, principalmente nesse disco, que não deve nada a baixista algum que tenha estado no line-up e, por último e tão importante quanto, Russell Gilbrook mostrou, mais uma vez, o porquê dele ter sido o escolhido para substituir alguém da grandiosidade do saudoso Lee Kerslake.

Vamos falar das canções do “Chaos & Color”?

“Save Me Tonight” foi muito bem escolhida para ser abertura e single. Riff encorpado, ritmo acelerado, altíssima vibe e um refrão típico de canções clássicas de Hard Rock. Na sequência, “Silver Sunlight” é discretamente mais cadenciada que sua antecessora, porém com um refrão ainda mais pegajoso.

O solo de Box faz até a alma ficar arrepiada. “Hail The Sunsire” mergulha profundamente nas referências 70’s da própria sonoridade do Uriah Heep, pois, inclusive, chego a imagina-la na voz do saudoso John Lawton. Que música fantástica!

“Age Of Changes” me fez viajar ainda mais distante no passado e, com o já conhecido coro de vozes do Uriah Heep, fez com que eu me lembrasse do seu debut “…Very ‘Eavy …Very ‘Umble “ (1970). Até “I’ll Keep On Trying” passeou livremente por meus pensamentos mais elevados. Ouvindo o single “Hurricane”, a era Lawton passou mais uma vez pela minha cabeça.

“One Nation, One Sun” é o tipo de balada que é especialidade de Bernie Shaw, pois tem a ver com os lançamentos mais atuais, porém não há como esconder que essa canção também seria perfeita na interpretação do saudoso David Byron. No momento que Box estava solando, também consegui imaginar um segundo solo de guitarra com o slide usado por Hensley. Eis um disco que me fez girar dentro da história do Uriah Heep!

MICK BOX / Reprodução / Facebook

“Golden Light”

O solo de Phil Lanzon na introdução de “Golden Light”, que abre as portas de uma das minhas favoritas do registro, tem tudo a ver com a sonoridade da banda nos anos 70. Shaw esbanja feeling, enquanto Mick Box dá show em seus solos, novamente. A cada nova audição, eu descubro mais detalhes sobre esse full lenght , os quais haviam me passado despercebido nos primeiros contatos e a cada vez que o ouço, ele fica mais prazeroso e surpreendente.

Embora eu não tenha mencionado até então, o lado Hard/Prog 70’s do Uriah Heep está presente em praticamente todas as suas faixas, tornando fabuloso o resultado final das composições.

“You’ll Never Be Alone” comprova, com todas as letras, isso que acabo de dizer, há até um momento em que o baixo, bateria e guitarra me transportam direto ao “The Magician’s Birthday”, porém isso só é notável para quem a ouve muito concentrado.

“Fly Like An Eagle”

   

“Fly Like An Eagle” mantém a receita do Hard Rock/Prog, pois Bernie Shaw mostra suas lindas tonalidades médias no refrão. Phil Lanzon faz um solo que tem a sua personalidade, mas que funciona com perfeição e Mick Box arrasa como em todas as músicas.

“Freedom To Be Free” proporciona a Dave Rimmer mostrar toda a sua habilidade no baixo. Ele executa incríveis solos, que fazem o que a música manda, mas com firulas exageradas ausentes.

Fico imaginando se o Uriah Heep executar essa canção ao vivo, como esse baixo pode soar maravilhoso em seu momento de destaque.

URIAH HEEP / Reprodução / Facebook

O que acham da ideia de um disco, que carrega várias referências de momentos da história do Uriah Heep, terminar com uma canção que tem a pegada semelhante a “Easy Living’”?

Pois é exatamente isso que acontece com “Closer To Your Dream”, composição escolhida para finalizar a track list do “Chaos & Colors”. Assim sendo, todos os apaixonados por Uriah Heep tem a obrigação moral de embarcar nessa viagem comandada pelo velho mago Mick Box e seu sorriso mágico.

Nota: 9,2

URIAH HEEP / Divulgação / Facebook

Integrantes:

  • Mick Box (guitarra, vocal)
  • Phil Lanzon (teclado, vocal)
  • Bernie Shaw (vocal)
  • Dave Rimmer (baixo, vocal)
  • Russell Gilbrook (bateria)

Faixas:

  • 1.Save Me Tonight
  • 2.Silver Sunlight
  • 3.Hail The Sunrise
  • 4.Age Of Changes
  • 5.Hurricane
  • 6.One Nation, One Sun
  • 7.Golden Light
  • 8.Youll Never Be Alone
  • 9.Fly Like An Eagle
  • 10.Freedom To Be Free
  • 11.Closer To Your Dreams

Redigido por Cristiano “Big Head” Ruiz

Confira também a resenha do álbum “Living The Dream” (2018):

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -