PUBLICIDADE

Resenha: The Quill – “Wheel of Illusion” (2024)

“Wheel of Illusion” é o décimo primeiro full lenght da banda sueca de Doom/Stoner, The Quill, que chegou em 29/3/2024, pelo selo Metalville. O sucessor do álbum “Earthrise” chegou, portanto, exatamente três anos e três dias após o seu lançamento. The Quill nasceu em 1986, na cidade de Mönsterås, a princípio somente como Quill, tornando-se The Quill em 1992. Seu primeiro e único full lenght como Quill foi “Out of Blue Corners” (1989), enquanto como The Quill, o debut foi o homônimo de 1995.

   
THE QUILL / Reprodução / Facebook

Del ett

Como esse foi nosso primeiro contato o trabalho do The Quill, assim que ouvimos “Wheel Of Illusion” pela primeira vez, pensamos que estávamos diante de uma homenagem bem feita ao Black Sabbath da era clássica com Ozzy Osbourne. Pois essa é a exata impressão que a faixa título nos dá. No entanto, nos apressamos em nossas conclusões e, por isso, nos equivocamos. Já “We Burn” soa um tanto quanto mais moderna, algo entre Stoner e Hard. Ainda assim temos mais uma composição que não abandona aquela deliciosa atmosfera caricata da década de 70, a qual tanto veneramos.

Em seguida, a power ballad “Rainmaker” mescla, com absoluto equilibrio e bom gosto, os ingredientes Doom, Stoner e Hard. Como resultado, uma sopa musical recheada de feeling, sem abrir mão dos riffs pesados. A voz de Magnus Ekwall combina perfeitamente com as harmonias das composições, a guitarra de Christian Carlsson sabe dar intensidade e melodia na medida certa, enquanto a cozinha do baixista Roger Nilsson e do baterista Jolle Atlagic consegue, de maneira competente, oferecer o sustain necessário para a música do The Quill.

THE QUILL / Reprodução / Facebook

Andra akten

Embora “Elephant Head” possua uma veia bastante moderna e até comercial, ele é agradável e, por isso, a aprovamos. Nem sempre algo que faça lembrar os anos 90 é ruim, já que muita coisa de ótima qualidade também surgiu nessa época e esse assunto já foi tema de debate por aqui várias vezes. Logo após, “Hawks & Hounds” atrai novamente uma energia Black Sabbath, talvez um pouco mais voltada aquele período do “Sabotage”, e com uma pitada interessante de Classic Rock, chegando a soar como Led Zeppelin da fase que iniciou a partir do “Houses of the Holy”. Certamente, vocês vão entender melhor, tão logo ouçam essa canção.

“L.I.B.E.R”, por sua vez, tem o riff mais pesado do disco e, ao contrário das suas antecessoras, nos remete a carreira solo de Ozzy. Contudo, é prudente mencionar que tudo isso está dentro da inegável personalidade própria do The Quill. Ou seja, não há cópia e sim, excelentes influências e referências musicais nessa obra.

Sista sprickan

Mesmo que The Quill esteja do lado sueco do Doom, por muitas vezes, temos a impressão de escutar uma banda da escola americana desse cultuado subgênero. A fim de explicarmos o que acabamos de afirmar, “Sweet Mass Confusion (All Rise Now)” é uma composição excelente como exemplo. Não há aquele Doom puríssimo como Candlemass, mas aquele Doom/Stoner como Trouble, pelo menos em nosso ponto de vista. Não há nenhum ponto negativo nisso, pelo contrário, gostamos de ambas as escolas, entretanto, a resenha busca orientar o seu leitor sobre o que ele encontrará, com exatidão, assim que clicar no comando play. Nem sempre acertamos 100%, porém tentamos a melhor descrição possível.

THE QUILL / Divulgação / Metal Archives

“The Last Thing You Remember”, do mesmo modo que a faixa anterior, segue pela estrada do Doom/Stoner. Talvez ambas sirvam de preparação para a derradeira canção do álbum, que é, inegavelmente, a melhor do registro. Estamos falando de “Wild Mustang”, uma composição que reune, ao mesmo tempo, o Ozzy do Black Sabbath e da carreira solo, o Doom, o Stoner e o Classic Rock, cada um deles na sua dosagem suficiente, transformando tudo isso na música que o apreciador do The Quill, decerto, demanda.

Grattis till det utmärkta arbetet

Nota 8,8

Integrantes:

  • Jolle Atlagic (bateria)
  • Christian Carlsson (guitarra, vocal)
  • Magnus Ekwall (vocal)
  • Roger Nilsson (baixo, bandolim, teclado, vocal)

Faixas:

  • 1.Wheel of Illusion
  • 2.We Burn
  • 3.Rainmaker
  • 4.Elephant Head
  • 5.Hawks & Hounds
  • 6.L.I.B.E.R.
  • 7.Sweet Mass Confusion (All Rise Now)
  • 8.The Last Thing You Remember
  • 9.Wild Mustang

Redigido por: Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -