PUBLICIDADE

Resenha: Nihilist Death Cult – “Death To All Tyrants” (2022)

Desde que nasceu, no ano de 2018, a banda canadense Nihilist Death Cult busca perpetuar a velha escola do Metal através de suas composições rápidas e brutais. Sua sonoridade é, ao mesmo tempo, Death/Thrash Metal e Punk Grind. Suas composições tem total referência na década de oitenta, assim como no início da década de 90. Entretanto, seu debut, “Death To All Tyrants”, só chegou em 2022.

   

Seu line-up conta com os seguintes músicos: o vocalista/baixista Nick Sagias (ex-Soulstorm, ex-Overthrow, ex-Pestilence, atualmente no Tribe Of Pazuzu), o baterista John Sagias (ex-Soulstorm, ex-Abyss) e o guitarrista Ethan Bolduc (ex-Abyss, ex-Jaww).

Nick Sagias / Nihilist Death Cult / Reprodução

Nocaute vem em um minuto

Assim que apertamos o play, sofremos o nocaute em 1m06s com os golpes fatais de “Follow The Money”. Na sequência, levantamos do chão e tentamos ser mais fortes, mas “Hunting For Prey” nos joga contra o solo, mais uma vez.

Line-up competente

Já conhecíamos o vocal e o baixo certeiros de Nick Sagia no Tribe Of Pazuzu, contudo o estilo dele é brutal de uma forma diferente no Nihilist Death Cult. Por outro lado, ainda não conhecíamos o trabalho do irmão de Nick, John Sagias, cuja bateria espanca os tímpanos do primeiro ao último segundo do disco, sem misericórdia alguma. Por fim, o guitarrista Ethan Bolduc cumpre bem o seu papel nos riffs tanto quanto é nos solos, dando uma pitada diferente a sonoridade do trio.

Nick Sagias / Nihilist Death Cult / Reprodução

Voltando as faixas, temos “Obey & Consume”, na qual destaco o trabalho de Bolduc, o qual torna a guitarra da canção, inegalvemente, especial. Logo após, “Wake-up”, em um ótimo estilo D.R.I, quebra tudo em menos de um minuto. Enquanto a faixa título, por sua vez, dá um soco na fuça de todos os políticos desgraçados que obscurecem a face do planeta Terra. A princípio, definimos a sonoridade do Nihilist Death Cult como uma mescla entre Thrash/Death e Punk/Grind. No entanto, podemos adicionar nessa receita o elemento Speed Metal. A fim de comprovar o que acamos de mencionar, ouça cuidadosamente a faixa “Ready For War”

Trinca Final

Perto do fim, “Imperium” abre as portas da última e melhor trinca do disco, pois o trio realmente se supera em agressividade nesse trecho do registro. “Is This Progress?”, a canção mais longa do full lenght, 2m01s, é também a minha favorita, já que chego a pensar que estou ouvindo uma versão mais extrema e 45Rpm de Motörhead. Colocando um ponto final em “Death To All Tyrants”, temos “You Get What You Deserve”. Assim que essa faixa introduz, destaco a linha de baixo matadora de Nick, além da bateria destruidora de John, tudo isso ornando com os solos finais de Ethan.

Este álbum é indicado, portanto, para todos os amantes de canções rápidas e agressivas com a cara da velha escola. Se você se encaixa nessa descrição que acabamos de fazer, a diversão é garantida.

Nota: 9,0

Integrantes:

  • Nick Sagias (vocal e baixo)
  • John Sagias (bateria)
  • Ethan Bolduc (guitarra)

Faixas:

  • 1.Follow The Money
  • 2.Hunting For Prey
  • 3.Obey & Consume
  • 4.Wake up!
  • 5.Death To All Tyrants
  • 6.Ready For War
  • 7.Imperium
  • 8.Is This Progress?
  • 9.You Get What You Deserve

Redigido por: Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

  1. Um álbum tão curto e tão bom, quando acaba você espera por mais! Brutal, sujo e com uma mensagem explícita como deve ser. Excelente registro!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -