PUBLICIDADE

Live Review: Blind Guardian (Circo Voador – Rio de Janeiro)

No dia 18 de Novembro de 2023, tivemos uma apresentação épica do Blind Guardian em solo carioca, em um dos mais conhecidos palcos musicais do Rio de Janeiro: o Circo Voador.

   

Este show fez parte da “The God Machine Tour 2023”, que teve diversas outras apresentações pelo Brasil. No dia do evento, o público pode ser descrito como bem variado, com pessoas de todas as idades, a fim de mostrar como a banda ainda consegue renovar sua massa de fãs.

O clima era bem festivo e, por incrível que pareça, o local não estava muito quente. Quem já foi a shows no Circo sabe muito bem o “forno” que é para quem fica na parte coberta, mas a chuva forte que caiu na hora da abertura dos portões serviu para deixar a temperatura bem amena.

Início avassalador

Com o público gritando em uníssono o nome da banda, tivemos uma intro e, em seguida, os músicos iniciaram o show com o clássico “Imaginations From The Other Side”, do disco homônimo. A música foi literalmente berrada pelo público, que em resumo deixou clara toda a empolgação pela escolha desta faixa como abertura do show. O Blind Guardian devolveu a empolgação com uma execução perfeita, com Hansi Kürsch demonstrando boa forma nos vocais, assim como uma excelente presença de palco, incentivando a participação de todos os presentes.

Photo by: Dirk “The Pixeleye” Behlau

Logo, uma música do novo disco apareceu, “Blood Of The Elves”, uma das mais pesadas do excelente “The God Machine”, e que por certo funcionou muito bem ao vivo. A plateia continuava dando um show à parte, sempre participativa, reagindo a cada estímulo de interação.

Circo Voador: mais uma vez a casa do Metal

Abrindo um parêntese: como é bom ver o Circo Voador literalmente PULSANDO com um show de Heavy Metal. Já tive oportunidade de assistir várias bandas que amo nesse local e, pra mim, é um espaço excelente para este propósito. Espero de coração que o cenário da música pesada melhore no Rio de Janeiro, para por fim termos mais eventos como este.

A casa estava bem cheia, com muitas pessoas assistindo a apresentação da parte descoberta do local. O som não deixou a desejar, então todos puderam aproveitar a experiência da melhor forma possível.

Voltando para o tracklist, temos “Nightfall”, mais um clássico, desta vez do álbum “Nightfall In Middle-Earth”. Antes de tudo, Hansi explica que tocaria uma música que fala sobre os Noldor, os elfos criados na saga de livros de J. R. R. Tolkien. O vocalista ainda fez uma brincadeira com o público que, nesse ínterim, festejou com o anúncio, dizendo que eles estavam empolgados por conta de um momento sombrio. Mais uma vez, temos uma canção sendo tocada de forma perfeita, para a alegria da plateia, que demonstrava total felicidade por ver uma banda que tem tantos anos de estrada entregar uma performance tão boa. Certamente, o Blind Guardian ainda têm muita lenha para queimar.

Photo: metallus.it

E que tal retornarmos para “Imaginations From The Other Side”? É isso o que aconteceu quando “The Script for My Requiem” foi executada. Esta é outra que também tem uma ótima aceitação do público e, sem deixar a temperatura baixar, foi seguida por “Violent Shadows”, mais uma boa música do último álbum. Essa foi a única deste disco executada no maravilhoso show do Summer Breeze 2023 e, pra mim, é mais uma das “novas” que tem tudo pra continuar nos sets futuros.

Setlist balanceado

A próxima foi “Skalds and Shadows”, do álbum “A Twist in the Myth”. E quando ela foi executada começamos a ver o fenômeno clássico dos shows do Blind Guardian: grupos de amigos abraçados, dançando no ritmo da música, assim como levantando suas cervejas para o alto.

O show segue com mais uma música do “Nightfall”, a clássica “Time Stands Sill (At the Iron Hill)”. A plateia não deu sinais de cansaço, mesmo com toda a energia já entregue anteriormente. Todos continuaram participando ativamente do show e cantando alto o refrão.

   

Sem descanso, foi a vez de “Secrets of the American Gods”, mais um tema do último álbum. Apesar de ser uma música mais cadenciada, também funcionou muito bem ao vivo, tendo uma boa aceitação do público. Antes de mais nada, Hansi perguntou se o público está pronto para o que está por vir, dizendo que todos os presentes seriam protagonistas. É claro que o momento de “The Bard Song – In The Forest”, do disco “Somewhere Far Beyond”, havia chegado para delírio dos fãs.

Photo: reddit/fjperezf

Esse sempre é um dos momentos altos do show, onde Hansi vira praticamente um regente das vozes da plateia. Um ponto sempre muito marcante em todos as performances do Blind Guardian.

O passado mais presente do que nunca!

Em seguida, foi a hora de voltar ao início da carreira da banda com “Majesty”, do primeiro álbum, “Batallions Of Fear”. É sempre bom você ver um nome tarimbado com uma discografia tão vasta poder passear por toda a sua carreira. Um grande clássico para um grande show.

Como a temática desta parte do show é de retorno ao passado, nada mais oportuno do que temos “Traveler In Time”, do álbum “Tales From the Twilight World” para fechar a primeira parte do show. A música pareceu que deu novo fôlego aos presentes, que agitaram muito.

Após uma breve pausa, retornam com “Sacred Worlds”, do álbum “At the Edge Of Time”, com seu início soturno, mas que também alterna entre momentos rápidos e cadenciados.

Visitando o universo Tolkieniano mais uma vez, falamos dos Anéis do Poder em “Lord Of The Rings”, que também foi cantada em alto e bom som pelos fãs. Outro ponto alto dos shows.

Reprodução/Youtube

Este bis seguiu recheado de clássicos, continuando com “Valhala”, do álbum “Follow The Blind”, seguida por “Welcome To Dying” e, para finalizar de forma épica, “Mirror Mirror”. Essa trinca final agradou a todos.

Ao final, vimos o público feliz e satisfeito, com vários comentários mais do que positivos para o show impecável que acabara de acontecer. Como diz Bilbo Bolseiro, no primeiro livro da saga Senhor dos Anéis:

“A NIGHT TO REMEMBER”.

Integrantes:

  • Hansi Kürsch (vocal)
  • André Olbrich (guitarra)
  • Marcus Siepen (guitarra)
  • Frederik Ehmke (bateria)
  • Michael “Mi” Schüren (teclado)
  • Johan van Stratum (baixo)

Setlist:

  1. Imaginations From the Other Side
  2. Blood of the Elves
  3. Nightfall
  4. The Script for My Requiem
  5. Violent Shadows
  6. Skalds and Shadows
  7. Time Stands Still (At the Iron Hill)
  8. Secrets of the American Gods
  9. The Bard’s Song – In the Forest
  10. Majesty
  11. Traveler in Time

Encore:

  1. Sacred Worlds
  2. Lord of the Rings
  3. Valhalla (pedido do público)
  4. Welcome to Dying
  5. Mirror Mirror

Redigido por Daniel Dante

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -