Clássicos: Slayer – “Hell Awaits” (1985)

PUBLICIDADE

Hell Awaits” é o segundo álbum da banda de Thrash Metal norte-americana, Slayer, lançado em março de 1985 pelo selo Metal Blade Records e produzido por Brian Slagel, sendo o sucessor do debut, “Show No Mercy”, de 1983.

A faixa título, “Hell Awaits”, abre o lado A mais brutal da história do Thrash Metal, pois não há um único lado em disco algum, que se compare ao rolo compressor que é essa trinca inicial. Tudo começa com uma introdução macabra que culmina em uma pancadaria sonora que faz valer o significado do termo Thrash Metal. Nasce uma lenda, pois o que Dave Lombardo faz nessa música e nesse disco, o tornam diferenciado dos demais bateristas daquela época. “Os Portões do Inferno estão esperando como você vê / Não há preço a pagar, apenas me siga / Eu posso tirar sua alma perdida do túmulo / Jesus sabe que sua alma não pode ser salva / Crucificar o chamado Senhor / Ele logo cairá para mim / Suas almas estão condenadas, seu Deus caiu / Para ser escravo de mim eternamente / O inferno espera”, Tom Araya pronuncia isso tudo de forma rápida e agressiva, tornando-se único e inesquecível.

“Kill Again” é o tema da minha história pessoal com esse disco. Ainda me lembro da primeira vez que um amigo me mostrou essa música. Sua introdução já me impressionou pela bateria e pelo “jogo de riffs” muito loucos. Fora isso, a letra é pegajosa, ainda que Tom Araya a cante no 45rpm. “Sem motivo aparente / Apenas mate e mate novamente / Sobreviva à minha surra brutal / Vou te caçar até o fim / Minha vida é uma batalha constante / A raiva de muitos homens / Maníaco homicida”. “Kill Again” me fez respeitar tanto o “Hell Awaits”, quanto o Slayer de uma forma especial, pois, ainda que eu já conhecesse Thrash Metal, conhecer “Kill Again” foi entrar em um mundo desconhecido.

Estava eu no show do Slayer no Rock In Rio de 2013, quando escuto o riff de “At Dawn They Sleep”, a qual encerra a supracitada trinca. Eu abri os braços e deixei com que o vento acariciasse a minha face, como se eu estivesse recebendo uma benção dos deuses do Metal. Falar de vampiros é sempre uma temática interessante para o Metal, mas essa canção torna isso ainda melhor. “Praise Of Death” abre o lado B, que embora não tenha a mesma força que o lado A, o mesmo não deixa de ser destruidor. Ao contrário das primeiras músicas do disco, que chegam a serem precursoras do Death Metal, as do lado B mantém mais a pegada comum do Thrash Metal old school, não que isso seja algo ruim, pelo contrário, é excelente.

Esse disco me ensinou muitas coisas diferentes, umas delas eu aprendi com a faixa “Necrophiliac”. Até então eu não sabia que existia a necrofilia e nem necrofiliacos. Aprendi sobre os maníacos que gostam de violar túmulos e praticar sexo com cadáveres já em estado de decomposição. Outra das introduções marcantes é a de “Crypts Of Eternity”, pois ela resgata um pouco da pegada do lado A, usando um apanhado de todos os seus ingredientes. “Eu vi as profundezas escuras do Inferno / Feitiçaria além do feitiço das bruxas / Roubou as criptas da eternidade da morte / Matou o padre e o amaldiçoou indefinidamente”. Interessante citar que durante os solos de guitarra de Hanneman e King, o baixo de Araya fica tão nítido que da a impressão que não há guitarra fazendo base nesses momentos.

“Hardening Of The Arteries” encerra o segundo álbum completo do Slayer, “Hell Awaits”, que, indubitavelmente, fez crescer muito a legião de fãs da banda. Voltando a “Hardening Of The Arteries”, ela é mais uma boa canção do disco, porém guarda uma surpresa para quem ouve o “Hell Awaits” pela primeira vez. Após os 2m0s de duração, ela resgata a introdução da faixa título, dando uma atmosfera conceitual no disco, ou seja, ele termina da forma com a qual começa.

Minha história pessoal poderia ser contada através de discos de Rock e Metal. Quase a totalidade de discos que resenho aqui na sessão “Clássicos” tem um significado especial para quem eu me tornei. “Hell Awaits” está incluso nesse precioso pacote, apesar do meu preferido ainda ser o “South Of Heaven” de 1988. Se alguém ainda não conhece “Hell Awaits”, eu lamento por essa pessoa.

Nota: 9,0

Integrantes:

  • Tom Araya (vocal, baixo)
  • Kerry King (guitarra)
  • Dave Lombardo (bateria)
  • Jeff Hanneman (guitarra)

Faixas:

  1. Hell Awaits
  2. Kill Again
  3. At Dawn They Sleep
  4. Praise Of Death
  5. Necrophiliac
  6. Crypts Of Eternity
  7. Hardening Of The Arteries

Redigido por Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE
PARCEIROspot_img

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,663SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
164SeguidoresSeguir
960InscritosInscrever

Mais Acessadas

Últimas Publicações