PUBLICIDADE

Vale a pena ouvir de novo: Sepultura – “Arise” (1991)

Maio de 1991: Os americanos do Morbid Angel lançam o excelente “Blessed Are The Sick”, segundo álbum de sua carreira e um dos discos aclamados pelos fãs de Death Metal, considerado por muitos como a “obra prima” do quarteto.

   

Contendo 13 faixas, sendo 4 delas instrumentais, o disco apresenta uma sonoridade mais lenta comparado ao debut e apresenta três faixas extraídas da demo “Abominations Of Desolation”, gravada originalmente em 1986.

O guitarrista Trey Azagthoth dedicaria este álbum ao compositor alemão Wolfgang Amadeus Mozart.

Setembro de 1991: O quinteto sueco Europe lançava o controverso “Prisoners In Paradise”, quinto trabalho que dividiu opiniões entre os fãs de Hard Rock, visto que os discos anteriores “The Final Countdown” e “Out Of This World” elevaram a banda ao hall das grandes bandas do estilo.

Apesar de não obter o mesmo sucesso, embora suas músicas sejam excelentes, o disco fez bonito em países como: Alemanha, Áustria, Japão, Holanda, Noruega, Reino Unido, Suécia e Reino Unido, graças ao sucesso dos singles “I’ll Cry For You”, “Halfway to Heaven” e a faixa título. Sem dúvida uma das melhores do álbum.

Enquanto isso, os brasileiros do Sepultura lançavam “Arise”, quarto disco de sua discografia e um dos melhores discos do quarteto.

Produzido por Scott Burns (Cannibal Corpse, Death, Napalm Death, Terrorizer, etc) e gravado no Morrisound Studios, na Flórida, o álbum apresenta 9 faixas inéditas voltadas ao Thrash, flertando também com o Death Metal em alguns momentos.

Reprodução / Facebook / Sepultura

Bem recebido, “Arise” recebeu disco de ouro na Indonésia, destacando-se também nas páginas da Kerrang, Hard Rock e Metal Forces, Melody Maker e New Music Express, revistas especializadas em Heavy Metal, que o consideraram como o melhor disco do quarteto, opinião esta que coincide também com os fãs mais antigos da banda.

A turnê de divulgação foi a maior até aquele momento, passando por 39 países entre os anos de 1991 e 1992, ultrapassando a marca de mais de 220 shows.

Ao final da turnê, as vendagens apresentavam números relevantes e importantes, contemplando a banda com disco de platina, além de sua inclusão no livro “1001 Albums You Must Hear Before You Die” (1001 discos que você precisa ouvir antes de morrer). E também no livro “500 Heavy Metal Albums All The Time” (500 discos de Heavy Metal de todos os tempos).

A excelente repercussão (e aceitação) de “Arise” fez com que a banda participasse da 2ª edição do Rock In Rio, realizada em 1991, onde tocaram para um público de aproximadamente 70 mil pessoas.

   

Ainda sobre as turnês: Entre 1991 e 1992, o grupo dividiu o palco com nomes como: Morbid Angel, Sadus, Napalm Death, Sick Of It All, Ministry, Helmet, Sacred Reich, Heathen, Motorhead, Ozzy Osbourne, Obituary, etc.

Graças aos singles/clipes de “Arise”, “Dead Embryonic Cells” e “Under Siege (Regnum Irae), o grupo despontou na MTV, cujos clipes obtiveram grande repercussão.
Algumas revistas se renderam ao impacto fulminante de “Arise”, tecendo elogios e mostrando que os brasileiros não estavam pra brincadeira.

Em uma matéria da New Music Express, um dos seus jornalistas escreveu:

“Sepultura é uma banda de metal brasileira que parece estar em vias de ficar grande. maior talvez que o Slayer, seus únicos e verdadeiros rivais.”


.
Seguindo a mesma linha de raciocínio, a revista alemã “Thrash”, elegeu o Sepultura como “A melhor banda do mundo”. Despontando na frente de nomes de peso como Metallica e o já mencionado, Slayer.

Ainda sobre a repercussão positiva: O site About.com, através do jornalista Dan Marsicano, colocou “Arise” em 1º lugar na lista de melhores álbuns do Sepultura, o qual o considera o ‘Magnus Opus’ da banda, onde todas as peças se juntam perfeitamente.

A qualidade e a musicalidade excelentes do disco garantiram a 119ª posição da Billboard Americana.

Um ano após seu lançamento, “Arise” foi disco de ouro pelas vendas superiores a 25 mil cópias na Indonésia, e em 1993, as vendas ultrapassaram a marca de 1 milhão de cópias em todo o mundo.

Reprodução / Facebook / Sepultura

Em 2001, o grupo foi contemplado com disco de ouro no Reino Unido, pelas vendas superiores a 60 mil cópias.

Sobre os trinta anos de seu lançamento, o guitarrista Andreas Kisser disse o seguinte:

“O Arise foi o disco dos sonhos, porque tivemos todas as condições que sempre sonhamos em ter. Foi o primeiro disco que tivemos total liberdade e confiança da gravadora para fazermos o que a gente estava afim, e isso só foi possível por causa do impacto positivo do ‘Beneath the Remains’.”

“Gravamos no estúdio Morrisound, na Flórida, que era a meca do Death Metal, e pudemos fazer tudo como queríamos: o encarte que queríamos, com as fotos que escolhemos, com as letras nos encartes. E foi a primeira vez que introduzimos o ‘S’ tribal que virou o logotipo da banda em diversas ocasiões. A capa também foi feita exclusivamente para nós pelo Michael Whelan.”

   

Resenha do Mundo Metal para “Arise”, confira:

Algumas observações acerca do disco:

  • • Além do já citada 119ª posição da Billboard, o disco despontou nas paradas musicais da Alemanha (25ª), Países Baixos (68ª), Reino Unido (40ª), Suécia (24ª) e Suíça (46ª).
  • •“Under Siege (Regnum Irae)”, atingiu a 91ª posição na UK Singles Charts.
  • •Em 2000, o álbum figurou na lista da Terrorizer (revista) do “The 100 Most Important Albums of The 90s”.
  • •Na época de seu lançamento (1991), a revista Kerrang classificou “Arise” como o 7º Melhor disco do ano.
  • •Em 2001 a Revista Rock Hard, classificou o disco como “Top 300 Albums All The Times”.
  • •As versões brasileiras e européias contém a faixa “Orgasmatron”, originalmente gravada pelo quarteto Motorhead, enquanto a reedição lançada em 1997 contém três faixas bônus.

Aos amantes do bom e velho Thrash Metal… Vale a pena ouvir de novo.

Integrantes:

  • Max Cavalera (vocal e guitarra)
  • Andreas Kisser (guitarra)
  • Paulo Jr. (baixo)
  • Igor Cavalera (bateria)

Faixas:

  • 01.Arise
  • 02.Dead Embryonic Cells
  • 03.Desperate Cry
  • 04.Murder
  • 05.Subtraction
  • 06.Altered State
  • 07.Under Siege (Regnum Irae)
  • 08.Meaningless Movements
  • 09.Infected Voice

Faixa Bônus (versão brasileira/européia)

  • 10.Orgasmatron

Relançamento 1997

  • 11.Intro
  • 12.C.I.U (Criminals In Uniforms)
  • 13.Desperate Cry (Scott Burns Remix)

Redigido por: Geovani “Gigio Tadeu” Vieira

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -