PUBLICIDADE

[ Vale a pena ouvir de novo! ] Monstrosity – “Imperial Doom” (1992)

Março de 1992: A banda americana Body Count, liderada pelo rapper Ice T, estreia com o seu álbum homônimo. Trazendo em sua temática temas sociais, políticos, violência policial, racismo e abuso das drogas, o disco foi muito bem recebido por fãs e críticos, atingindo a 26a posição da Billboard 200.

Julho de 1992: Os ingleses do Black Sabbath lançam “Dehumanizer”, décimo sexto álbum da carreira que marca o retorno de Ronnie James Dio nos vocais, Vinny Appice na bateria e Geezer Butler no baixo. Considerado um dos trabalhos mais pesados da banda, o disco atingiu posições de destaque em países como: Áustria, Suécia, Suíça, Estados Unidos e Reino Unido.

   

Enquanto isso, em 26 de maio do mesmo ano, o quarteto americano Monstrosity lançava “Imperial Doom”, álbum de estreia e um dos melhores registros de Death Metal de todos os tempos.

Contendo 09 faixas, divididas em pouco mais de 35 minutos, o disco ultrapassou a marca de 40 mil cópias vendidas (na época), recebendo excelentes críticas da mídia especializada, dos fãs do estilo e de alguns músicos que classificaram “Imperial Doom” como um dos discos mais “insanos” e “agressivos” dos anos 90.

A banda embarcaria numa longa turnê pela Europa, porém as divergências entre os músicos e a gravadora Nuclear Blast (na época) envolvendo “royalties”, foram os motivos para que o grupo deixasse a gravadora.

Produzido por Jim Morris, responsável por trabalhos ao lado de nomes como: Cannibal Corpse, Cancer, Death, Master, Napalm Death, Deicide, Obituary, Six Feet Under, Sepultura, etc, o disco foi gravado e mixado no famoso Morrisound Studios em Tampa, Flórida.

A faixa “Final Creation”, foi contemplada com um videoclipe.

PS: Em agosto de 1996, o quarteto lançaria “Millenium”, segundo álbum da carreira e o último com os vocais (animais) de George “Corpsegrinder” Fisher, que rumava para o Cannibal Corpse, levando consigo a missão de substituir Chris Barnes.

Aos amantes do bom e velho Death Metal…Vale a pena ouvir de novo.


  • Integrantes:
  • George “Corpsegrinder” Fisher (vocal)
  • Mark van Erp (baixo)
  • Jon Rubin (guitarra)
  • Lee Harrison (bateria)
  • Faixas:
  • 01.Imperial Doom
  • 02.Definitive Inquisition
  • 03.Ceremonial Void
  • 04.Immense Malignancy
  • 05.Vicious Mental Thirst
  • 06.Burden of Evil
  • 07.Horror Infinity
  • 08.Final Cremation
  • 09.Darkest Dream
PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PARCEIROspot_img

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
194SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações