PUBLICIDADE

[ Vale a pena ouvir de novo! ] Monstrosity – “Imperial Doom” (1992)

Março de 1992: A banda americana Body Count, liderada pelo rapper Ice T, estreia com o seu álbum homônimo. Trazendo em sua temática temas sociais, políticos, violência policial, racismo e abuso das drogas, o disco foi muito bem recebido por fãs e críticos, atingindo a 26a posição da Billboard 200.

Julho de 1992: Os ingleses do Black Sabbath lançam “Dehumanizer”, décimo sexto álbum da carreira que marca o retorno de Ronnie James Dio nos vocais, Vinny Appice na bateria e Geezer Butler no baixo. Considerado um dos trabalhos mais pesados da banda, o disco atingiu posições de destaque em países como: Áustria, Suécia, Suíça, Estados Unidos e Reino Unido.

   

Enquanto isso, em 26 de maio do mesmo ano, o quarteto americano Monstrosity lançava “Imperial Doom”, álbum de estreia e um dos melhores registros de Death Metal de todos os tempos.

Contendo 09 faixas, divididas em pouco mais de 35 minutos, o disco ultrapassou a marca de 40 mil cópias vendidas (na época), recebendo excelentes críticas da mídia especializada, dos fãs do estilo e de alguns músicos que classificaram “Imperial Doom” como um dos discos mais “insanos” e “agressivos” dos anos 90.

A banda embarcaria numa longa turnê pela Europa, porém as divergências entre os músicos e a gravadora Nuclear Blast (na época) envolvendo “royalties”, foram os motivos para que o grupo deixasse a gravadora.

Produzido por Jim Morris, responsável por trabalhos ao lado de nomes como: Cannibal Corpse, Cancer, Death, Master, Napalm Death, Deicide, Obituary, Six Feet Under, Sepultura, etc, o disco foi gravado e mixado no famoso Morrisound Studios em Tampa, Flórida.

A faixa “Final Creation”, foi contemplada com um videoclipe.

PS: Em agosto de 1996, o quarteto lançaria “Millenium”, segundo álbum da carreira e o último com os vocais (animais) de George “Corpsegrinder” Fisher, que rumava para o Cannibal Corpse, levando consigo a missão de substituir Chris Barnes.

Aos amantes do bom e velho Death Metal…Vale a pena ouvir de novo.


  • Integrantes:
  • George “Corpsegrinder” Fisher (vocal)
  • Mark van Erp (baixo)
  • Jon Rubin (guitarra)
  • Lee Harrison (bateria)
  • Faixas:
  • 01.Imperial Doom
  • 02.Definitive Inquisition
  • 03.Ceremonial Void
  • 04.Immense Malignancy
  • 05.Vicious Mental Thirst
  • 06.Burden of Evil
  • 07.Horror Infinity
  • 08.Final Cremation
  • 09.Darkest Dream
PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
236SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -