PUBLICIDADE

Resenha: Uada – “Crepuscule Natura” (2023)

“Crepuscule Natura” é o quarto full lenght da banda americana de Melodic Black Metal, Uada, sucessor de “Djinn”, lançado em 2020, ao mesmo tempo que uma epidemia mortal assustava o mundo, fazendo milhões de vítimas.

   
Uada / Photo by: Joshua Cummings

O vocalista e guitarrista, Jake Superchi, membro fundador do quarteto de Portland/Oregon, é o responsável por um dos pontos mais altos da sonoridade do UADA, pois sua voz não é carregada de nenhum tipo de exagero, os guturais característicos de Black Metal são muito bem aplicados e também aqueles vocais mais rasgados não são utilizados em demasia.

Nate Verschhor, o baixista, que é membro do line-up desde 2019, constrói uma cozinha muito bem alicerçada com o baterista Trevor McClain, que é recém-chegado a banda, mas já se adaptou muito bem a sua sonoridade. O guitarrista, responsável pelos solos, James Sloan, que deixou a banda logo após a conclusão da gravação do disco, sendo substituído por Kevin Bedra, executou com perfeição a sua parte.

“The Abyss Gazing Back”, perfeita para abrir o disco

Ao contrário do que ocorreu na abertura do full lenght anterior, “Djinn”, que inclusive abriu com sua faixa título, “The Abyss Gazing Back” sequer dá a impressão de soar “alegre”, pois já mostra a real personalidade do UADA desde os seus primeiros acordes. O fantástico trabalho das duas guitarras proporciona literalmente o que conhecemos como Melodic Black Metal, no entanto, no melhor de sua forma.

“Olhe para mim / Como eu olhei para você / Mude-nos para o infinito / A matéria escura nos guia / Para o portal adumbral / Esperando o fim para começar / Onde os sem vida se tornam imortais / A única saída é entrar”.

“Crepuscule Natura”

A faixa título é discretamente superior a sua antecessora, destacando ainda mais o trabalho do baterista, Trevor McClain, que dá a canção, a intensidade que ela necessita, deixando sua capacidade técnica explícita, contudo, usando e abusando do equilíbrio e do bom senso, sem descaracterizar o Melodic Black Metal. Há trechos que soam Heavy tradicional, da mesma forma que eu já havia mencionado na resenha do álbum anterior.

“Pense dentro da tua alma / porque você será e é a tua existência / pois você colherá / Peça diretamente e você receberá / simplesmente tente / mas primeiro você deve acreditar”

UADA / Photo @yvanalexandro

The Dark (Winter)

O trabalho de melodia das guitarras na introdução de “The Dark (Winter)” fomenta nela uma atmosfera épica, a qual se desfaz á medida que as variações de andamento começam a se revelar. A produção mais “limpa” e nítida é a razão do descontentamento de muitos fãs de Black Metal mais conservadores. Esse não é o meu caso, pois, em minha opinião, esse tipo de produção só enriquece o resultado final do registro.

“Simulação Draconiana / Operação clandestina / Fome e desespero / Veneno no ar / Injeção miasmática / Infecção carnal.”

Retraversing the Void

A parte instrumental de “Retraversing the Void” não apresenta nada diferente em relação às demais canções do álbum, ao passo que alguns vocais de apoio, em coro e limpos, dão a ela o seu diferencial, principal. Por volta de seus 3m30s de duração, há um trechinho de uns 15 segundos, que é, surpreendentemente, Heavy Metal, inclusive, na primeira vez que eu o ouvi, como me chamou a atenção, voltei mais de uma vez para conferir essa poça Heavy em meio ao oceano Black.


“Conceito supremo do continuum / fragmentos empíreos em equilíbrio realização / através das leis da mãe natureza / somos todos substância que existe e sempre existiu / Dentro do nosso sangue as estrelas.”

Uada / Photo by @cdmotley

“Through the Wax and Through the Wane”, o grande finale!

A composição eleita a responsável para fechar o quarto álbum de UADA é “Through the Wax and Through the Wane”, ou “Através da cera e através da diminuição”, em português, sendo ela a música de maior duração do disco (12m04s) contendo os mesmos elementos já apresentados na obra com alguns pequenos diferenciais que abrilhantem o resultado final, como por exemplo, a mudança dinâmica que ocorre entre 03m14s e 04m19s, que proporciona um prazeroso momento, enquanto estamos completamente seduzidos pela audição. Assim sendo, eu não escolheria outra faixa como minha favorita nesse disco, que não fosse ”Through the Wax and Through the Wane”.

“As odisséias de você e eu / somos nós mesmos que devemos recuperar / E permanecer sem desdém / busque um terreno mais alto: um novo terreno.”

Nota: 9,2

Integrantes:

  • Jake Superchi (vocal e guitarra)
  • Nate Verschoor (baixo)
  • Trevor McClain (bateria)
  • James Sloan (guitarra) que foi substituído por Kevin Bedra, logo após o termino da gravação

Faixas:

  • 1.The Abyss Gazing Back
  • 2.Crepuscule Natura
  • 3.The Dark (Winter)
  • 4.Retraversing the Void
  • 5.Through the Wax and Through the Wane

Redigido por: Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -