PUBLICIDADE

Resenha: Immortal Possession – “The Resurrectionist” (2022)

CDN RECORDS

Nascida em 1989, na cidade de Winnipeg, no Canadá, a banda de Death Metal, Immortal Possession, lançou o seu debut, “The Resurrectionist”, no dia 09/12/2022, pelo selo CDN Records.

   

Immortal Possession é formado pelos três integrantes do VotoV, John Duke no baixo, Chuck Labossiere na guitarra e vocal e Derrick Kroll na bateria, com adição do guitarrista Lee Arnone. A presença de dois guitarristas torna a sonoridade do Immortal Possession mais trabalhada e um pouco mais complexa, além dos solos estarem presentes, sendo isso um diferencial entre as bandas.

“Mass Murder” introduz mais cadenciada, porém, com peso visceral. Destaco a avalanche rítmica proporcionada por Derrick Kroll. Old school do início ao fim. “Wisdom Beyond Mortal Measure” é bem mais acelerada que sua antecessora, mantendo os ingredientes sonoros dessa sopa brutal de Metal da Morte. O solo de Lee Arnone dá o tempero final da receita maléfica. “Delicacy Of Disease” volta a cadenciar, todavia em nada se parecendo com a faixa de abertura. As alternâncias de gutural de Labossiere dão um toque sombrio as canções.

IMMORTAL POSSESSION / Divulgação / Facebook

“Evilution”, um trocadilho que funde as palavras “Evil” e “Evolution”, é a música de maior duração do registro, com quase sete minutos. Eis uma composição cheia de alternâncias de riffs, solos e ritmos que produzem uma atmosfera infernal irresistível. Arnone mostra toda a sua qualidade em seus bonitos solos. Há trechos mais lentos nos quais se nota influência em Black Sabbath. “Waltz Of The Corpse”, “Valsa do Cadáver” em português, também não tem o pé enfiado no acelerador, mas é pesada e macabra, com alguns trechos mais velozes. “Rectal Dissection” remete a fase clássica do Cannibal Corpse, na letra e na música, e toda a sua sujeira característica. Devo deixar aqui o meu elogio para o timbre das guitarras e do baixo de Duke.

A trinca final abre com “Encorpsed”. Essa canção me força mais uma vez a parabenizar a performance de Kroll e os timbres do trio de cordas, principalmente, o ganho absurdo proporcionado pelo baixo. “Surgical Castigation” é a mais rápida do disco, ainda que tenha trechos pouco mais lentos. O encerramento do full lenght fica por conta de “Class Warfare”, a qual pode ser definida, sem exagero algum, como Death/Doom. A propósito, o híbrido desses dois subgêneros se faz presente em outros momentos da audição, embora eu não os tenha citado. Há mais quatro guitarristas que participaram das sessões de gravação, Tim Roth, Mike Toews, Scott Kroeker e Adam Sweeney, além do violinista Helvii. Todos os convidados registraram um excelente trabalho.

Indicado a todos os amantes do Metal da Morte!

Nota 8,7

Integrantes:

  • John Duke (baixo)
  • Chuck Labossiere (vocal, guitarra)
  • Derrick Kroll (bateria)
  • Lee Arnone (guitarra)

Músicos Convidados:

  • Tim Roth (guitarra)
  • Helvii (violino)
  • Mike Toews (guitarra)
  • Scott Kroeker (guitarra)
  • Adam Sweeney (guitarra)

Faixas:

  • 1.Mass Murder
  • 2.Wisdom Beyond Mortal Measure
  • 3.Delicacy Of Disease
  • 4.Evilution
  • 5.Waltz Of The Corpse
  • 6.Rectal Dissection
  • 7.Encorpsed
  • 8.Surgical Castigation
  • 9.Class Warfare

Redigido por: Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
236SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -