PUBLICIDADE

Clássicos: Testament – “The New Order” (1988)

“The New Order” é o segundo full lenght da banda americana de Thrash Metal, Testament.

   

No ano seguinte ao lançamento de “The Legacy”, a banda californiana de Thrash Metal, Testament, lançava o seu segundo disco, que assim como o debut, teve Alex Perialas como produtor.

Lembro que meu vizinho na época, guitarrista e desenhista profissional, Sandro Nunes, estava tentando formar uma banda com meu irmão e, certo dia, eu o ouvi executando com perfeição “Musical Death (A Dirge)” em seu violão. Assim que eu o ouvi tocar, eu indaguei de quem era aquela linda canção, não imaginando que ela estivesse inclusa dentro de uma legítima aula de Thrash.

A introdução

A introdução sombria de “Eerie Inhabitants” já dá a ideia do que está por vir, tão logo o guitarrista Alex Skolnick apresenta seu cartão de visitas de um dos mais completos músicos do gênero. Por outro lado, a imponência do vocal de Chuck Billy somada a toda essa qualidade sonora indiscutível declaram o Testament como uma das melhores bandas de Thrash Metal de todos os tempos. A canção título é ainda mais arrasadora, pois ela possui um riff tão violentamente intenso, que seria capaz de desmoronar cordilheiras. Além disso, seu refrão é aprisionado pela memória subitamente.

T”he New Order” – Créditos: Photo By The Roisin Dubh (Pinterest)

A clássica “Trial By Fire” começa com mais um show de feeling e técnica de Skolnick, em perfeita sincronia com Eric Peterson, porém é Chuck que dá as cartas como sempre, através de seus poderosos vocais. “Into The Pit”, apesar de ser bem mais curta, repete com sucesso a fórmula de sua antecessora. O tema instrumental “Hypnosis” preenche o álbum, ao mesmo tempo, com melodia, técnica apurada e beleza musical impecáveis.

Logo depois, essa mesma atmosfera inicia “Disciples Of The Watch”. Essa canção significa perfeição no que se diz respeito ao Thrash Metal. Um bonito solo de baixo de Greg Christian a torna ainda mais especial.

The Preacher

Em seguida, vem minha favorita. “The Preacher” tem um daqueles riffs que a nossa mente fica repetindo sozinha e sem querer. Desse modo, não há possibilidade alguma dele sair da minha cabeça. Quando assisti ao Testament, finalmente, em 2015, o meu mundo parecia paralisado na execução dessa canção. Posteriormente, voltei a vê-los no Summer Breeze Brasil, em 2023 e os veria e verei novamente quantas vezes eu pudesse. O cover do Aerosmith, “Nobody’s Fault”, se encaixou perfeitamente á sonoridade da banda.

Chuck Billy mostrou em muitas oportunidades que sabe diversificar sua voz e essa versão é um dos exemplos dessa diversificação.

Créditos: photo by 68.media.tumblr.com (Pinterest)

“A Day Of Reckoning” me faz lembrar a sonoridade de um álbum posterior. “Souls Of Black”, quarto full-lenght da banda, o qual também eu aprecio muito. Essa faixa não tem a mesma força das demais do disco, porém não deixa de ser boa.

O disco finaliza com a canção instrumental pela qual a minha história com ele se iniciou. “Musical Death (A Dirge)”, executada pelo meu vizinho, me trouxe até o “The New Order” e ao Testament, consequentemente. Agradeço ao Sandro Nunes por essa indicação, mesmo que ela tenha sido involuntária.

O que dizer de um disco, o qual, cinco das dez faixas são obrigatórias no set list da banda até hoje? Não há como não pô-lo em um pedestal do Thrash Metal. Se alguém não gosta dessa obra prima, só posso lamentar, já que esse é um dos melhores discos de Thrash Metal já lançados.

   

Ouça o álbum na íntegra.

Nota 9,4

Integrantes:

  • Chuck Billy (vocal )
  • Louie Clemente (bateria)
  • Alex Skolnick (guitarra)
  • Eric Peterson (guitarra)
  • Greg Christian (baixo)

Faixas:

  1. Eerie Inhabitants
  2. The New Order
  3. Trial By Fire
  4. Into The Pit
  5. Hypnosis
  6. Disciples Of The Watch
  7. The Preacher
  8. Nobody’s Fault (Aerosmith Cover)
  9. A Day Of Reckoning
  10. Musical Death (A Dirge)

Redigido por Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

  1. Vi o Testament no circo voador aqui no Rio excelente show quando ainda não tinha a exposição de metálica Megadeth e slayer no final do show desceu e. se juntou a rapaziada para uma cervejada

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -