PUBLICIDADE

MUNDO METAL ENTREVISTA: SIEGRID INGRID

Siegrid Ingrid, veterana banda paulistana de Thrash/Groove Metal/Grindcore, através do vocalista Punk e do guitarrista Gubber, cedeu entrevista ao redator do Mundo Metal, Cristiano Ruiz, falando sobre o seu terceiro full lenght, “Back From Hell”, o qual saiu no dia 5/11/2023, também estando disponível nos streamings. Além disso, respondeu questões sobre a sua história desde que nasceu, em 1989, na cidade São Paulo/SP. A fim de saber mais, confira o nosso bate-papo abaixo.

   

Atualmente, o line-up conta com os seguintes membros: M Punk (vocal), André Gubber (guitarra), L Morales “Borô” (guitarra), Luiz Berenguer (baixo) e Minduium (bateria). Minduium substituiu Herbert Loureiro, posteriormente ao atual lançamento.

Questões:

Mundo Metal: “Back from Hell”, terceiro full lenght do Siegrid Ingrid, saiu há aproximadamente cinco meses, dessa forma, colocando fim a um hiato que já durava desde o lançamento do álbum “The Corpse Falls”. Ou seja, um total de 24 anos de espera. Sendo assim, o feedback de fãs e imprensa está sendo de acordo com o que banda esparava antes do lançamento?

Siegrid Ingrid (Punk):

“Sim, o retorno que estamos recebendo está sendo muito positivo. Estamos bem empolgados com a impressão que as pessoas estão tendo do nosso trabalho e assim concluímos que todo esforço está sendo recompensado. Na verdade, para nós, o mais importante é que as pessoas entendam as mensagens das letras e a proposta musical do álbum, que foi realmente soar mais pesado e brutal que os nossos trabalhos anteriores.”

PUNK / Luiz Berenguer.com

Mundo Metal: desde que a banda retornou as atividades em 2015 até o lançamento de “Back from Hell”, o primeiro single a sair foi “Damned Conviction”. No entanto, curiosamente, essa canção não fez parte do terceiro álbum completo da banda. Por qual razão essa faixa ficou de fora?

Siegrid Ingrid (Punk):

“A verdade é que em 2015 eu tentei retornar a banda com outros músicos, mas esse projeto não teve êxito. A banda retornou de fato em 2019 com a formação que havia gravado o álbum “The Corpse Falls”, ou seja, Punk vocais, Gubber e Borô guitarras, Luiz Berenguer no baixo e Evandro Jr. na bateria. Com essa formação fizemos três shows, mas em seguida veio a pandemia e tivemos que dar uma parada em tudo. Compusemos a música ‘Damned Conviction’ nesse intervalo e lançamos em abril de 2020 como single, mas para o contexto do álbum ‘Back From Hell’ entendemos que seria melhor ela não fazer parte, mesmo porque havia sido gravada pelo nosso antigo baterista Evandro Júnior. Mas é uma música que gostamos muito e que vamos colocar no repertório para os futuros shows.”

Mundo Metal: em relação à divulgação do atual disco, como foi a agenda de shows até agora?

Siegrid Ingrid (Punk):

“Estamos trabalhando nisso, a partir do segundo semestre desse ano teremos datas importantes em outros estados e estamos ansiosos para mostrar nossa musica ao vivo, principalmente para o publico mais jovem que ainda não teve oportunidade de nos assistir.”

Mundo Metal: conforme declarou o vocalista M Punk, “a banda voltou com força total”, e isso está claro para que fez uma audição cuidadosa de seu novo trabalho. Ainda assim, como pode ser avaliada a evolução de sua sonoridade do lançamento do EP “The Choice” até hoje? Há na sonoridade atual alguma influência de Metal moderno que não havia a princípio?

Siegrid Ingrid (Punk):

“De fato acreditamos que a banda vem evoluindo musicalmente desde que iniciou em 1989. Isso se deve ao fato da passagem de outros músicos pela banda e também pela forma de pensar e tocar de cada membro. Existem aspectos que associam o trabalho atual a uma sonoridade mais moderna, mais atualizada, especialmente quando falamos de produção, mas acho isso um fator natural, não se trata de ser melhor do que foi feito em outra época, apenas diferente. Com relação a influências, somos headbangers e estamos sempre antenados com as tendências e bandas da atualidade, embora nem tudo sirva de influência para nós.”

A produção de “Back From Hell”

Mundo Metal: as canções de “Back from Hell” foram criações recentes ou já eram composições antigas que estavam guardadas?

   

Siegrid Ingrid (Gubber):

“Todas as músicas do álbum ‘Back from Hell’ foram compostas a partir do segundo semestre de 2022, ou seja, é um material novo, mais recente, mesmo porque não lembrariamos de riffs do passado (risos).”

GUBBER / Luiz Berenguer.com

Mundo Metal: embora a fundação do Siegrid Ingrid date de 1989, a banda possui uma discografia com somente um EP e três full lenghts. Assim sendo, quais são os planos para futuro? Novos singles, uma turnê sulamericana, um novo álbum ou talvez um novo videoclipe referente a “Back from Hell”?

Siegrid Ingrid (Gubber):

“Estão acontecendo algumas coisas bem interessantes no momento, agora no início de 2024 nosso primeiro álbum ‘Pissed Off’ foi relançado pela Tumba Records no formato digipack, com faixas bônus e mais um DVD com duas apresentações em São Paulo que datam de 1995 e 1996. Também estamos negociando o relançamento do nosso segundo álbum (‘The Corpse Falls’) com a Cogumelo Records numa versão com faixas bônus. Ainda vamos trabalhar bastante na divulgação do ‘Back from Hell’, mas provavelmente lançaremos algo novo em breve.”

Mundo Metal: em relação a temática lírica, a banda sempre tratou dos podres da sociedade com letras que são escritas, ora em inglês ora em português. Primordialmente, qual foi a razão para a adoção dos dois idiomas?

Siegrid Ingrid (Gubber):

“Em 1989 a banda lançou o EP “The Choice” que continha a música ‘Enéas’, uma sátira à campanha política do candidato Enéas Carneiro. Já no ‘The Corpse Falls’, temos a música ‘Demência’, com uma letra sobre alguém atordoado, desesperado pela cura sem saber se ela realmente ocorrerá. Porém, em Back from Hell, tivemos a intenção de sermos mais profundos nas letras, tanto em inglês como em português, porém, as músicas que escolhemos para manter em português possuem uma mensagem mais direta e que gostaríamos que fosse absorvida principalmente pelos falantes da língua portuguesa. ‘Nojo’, ‘Templo dos Vermes’ e ‘Drásticas Consequências’ são mensagens cáusticas, sem subjetividades e que retratam a nossa visão acerca de temas como as relações humanas e a alienação religiosa.”

Mundo Metal: esse espaço serve para que vocês avaliem a entrevista, assim como para que digam o que quiserem sobre a história da banda, principalmente, sobre algo que não esteja em nossas questões. Ou seja, fiquem a vontade e digam o que sentirem que devem.

Siegrid Ingrid (Gubber):

“Gostaríamos de convidar os headbangers para uma audição nos álbuns do Siegrid Ingrid e que nos sigam nas redes sociais para ficar por dentro das novidades e da nossa agenda. ‘Back from Hell’ é o nosso terceiro álbum e está cheio de mensagens e reflexões sobre os caóticos tempos que vivemos. Agradecemos ao Mundo Metal pelo espaço e oportunidade.”

Mundo Metal:

Antes de mais nada, gostaríamos de agradecer pela entrevista e parabenizar vocês pela qualidade do novo trabalho. Esperamos que novidades não tardem a vir, pois estaremos prontos para a divulgação das mesmas.

Entrevistado: Punk & Gubber
Entrevistador: Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -