PUBLICIDADE

Lançamento: Ambush – “Infidel” (2020)

Gravadora: High Roller Records

   

Reza a lenda que o terceiro disco de estúdio de uma banda é aquele que a consolida ou a faz cair no esquecimento.

O Ambush, se você ainda não ouviu falar, é mais uma daquelas bandas que apresentam sonoridade retrô. O quinteto sueco, original de Kronoberg, reproduz com bastante competência aquele Heavy Metal clássico e sem misturas que teve raízes entre o início e meados dos anos 80. Nem seria necessário mencionar que nada aqui é inovador e, muito menos, contemporâneo, porém, a grande verdade é que nenhum headbanger em sã consciência se submeteria a audição de um álbum da NWOTHM para ouvir experimentações ou misturas que, por ventura, possam descaracterizar a musicalidade tradicional do gênero.

Após dois trabalhos absolutamente inspirados (“Firestorm”, de 2014 e “Desecrator”, de 2015), o Ambush retorna com “Infidel”, e mesmo que cinco anos tenham se passado, esses caras acertaram mais uma vez, o trabalho parece ter começado exatamente onde “Desecrator” encerrou. O terceiro registro dos suecos segue a mesma linha de seus antecessores e, que bom, pois não esperávamos nada além disso. Minha dúvida era apenas se a banda conseguiria compor músicas tão fortes e impactantes como as essenciais “Natural Born Killers”, “Firestorm”, “Southstreet Brotherhood” e “Possessed By Evil”. A resposta? Sim, conseguiram. E digo mais, “Infidel” não fica devendo absolutamente nada aos seus irmãos mais velhos.

Bem, aqui volto a considerar a questão sobre o terceiro disco de estúdio de uma banda. No caso de “Infidel”, certamente, veio para consolidar o Ambush entre os principais nomes da NWOTHM e alavancá-los entre as melhores do Heavy tradicional atual.

O disco é impecável e, até mesmo a ordem das faixas, parece ter sido escolhida com bastante cuidado. A faixa “Infidel” abre a audição e dela vem um riff poderoso, a canção apresenta um refrão pra lá de pegajoso e uma interpretação digna de aplausos do vocalista Oskar Jacobsson. “Yperite” traz aquela pegada mais despojada, festeira e pode-se dizer que se trata de um quase Hard. É preciso ponderar que essa combinação é muito boa e, perto dos 2 minutos, quando sofre uma espécie de reviravolta inusitada, você imediatamente percebe que não estamos diante de qualquer banda. A próxima é a veloz “Leave Them To Die”, com uma pegada que lembra o Riot da fase “Thundersteel”, onde as linhas são bastante agressivas e os vocais melodiosos. Os solos da dupla Adam Hagelin e Olof Engkvist são belíssimos e contribuem muito para o resultado final arrebatador. Na sequência temos “Hellbiter”, o carro chefe do álbum, sem dúvidas. Esta é uma combinação explosiva e certeira que mistura o poderio de fogo sem limites do Accept e as melodias estonteantes do Judas Priest do início dos anos 80, algo que o próprio Ambush já havia explorado com êxito na apaixonante “Natural Born Killers” (presente no debut “Firestorm”). Falando em Judas Priest, a introdução “The Summoning” serve quase como uma “The Hellion” para que a instigante “The Demon Within” exploda nos falantes. Aqui temos o Ambush predador e certeiro que nos encantou em composições como “Rose Of The Dawn” e “Faster” (ambas presentes em “Desecrator”). Sem deixar a ritmo diminuir, temos “A Silent Killer”, uma das melhores do álbum, senão a melhor, com riffs afiados e uma melodia grudenta, falamos aqui de uma séria candidata a clássico. Perto do fim, aparece mais uma bordoada, a rápida e furiosa “Iron Helm Of War”, uma espécie de crossover entre o Riot (de novo) e o Hammerfall da fase “Legacy Of Kings”, uma combinação pra lá de explosiva. As duas últimas são “Heart Of Stone” e “Lust For Blood”, a primeira é uma composição tipicamente Ambush, daquelas feitas para bangear com os punhos cerrados para o alto, já a segunda, é a mais cadenciada do disco e possui mais um refrão grudento.

“Infidel” não possui pontos fracos e brinda os ouvintes com uma audição extremamente prazerosa do início ao fim. Se você é daqueles caras que se deleitam com os clássicos dos anos dourados do Metal, tenha certeza que este álbum, se fosse lançado em meados de 84 ou 85, certamente, hoje seria um dos seus discos de cabeceira. O Ambush é uma banda que encarna como poucas essa atmosfera nostálgica oitentista e compõe músicas realmente vibrantes. Se a sua praia é o Heavy tradicional calcado nas principais escolas do gênero (inglesa, alemã e norte-americana), este trabalho é claramente obrigatório para você. Certamente, um dos grandes lançamentos do ano!

Nota: 9,4


  • Integrantes:
  • Ludwig Sjöholm (baixo)
  • Adam Hagelin (guitarra)
  • Olof Engkvist (guitarra)
  • Oskar Jacobsson (vocal)
  • Linus Fritzson (bateria)
  • Faixas:
  • 1. Infidel
  • 2. Yperite
  • 3. Leave Them To Die
  • 4. Hellbiter
  • 5. The Summoning
  • 6. The Demon Within
  • 7. A Silent Killer
  • 8. Iron Helm Of War
  • 9. Heart Of Stone
  • 10. Lust For Blood
  • Redigido por Fabio Reis
PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -