PUBLICIDADE

[ Isto é… clássico! ] Lee Aaron – “Metal Queen” (1984)

Rebuscando a história do Rock, ainda impressiona a quantidade de rótulos aos quais as bandas e seus discos foram (e ainda são) submetidos.

Tudo seria muito mais simples se usássemos apenas a palavra “Rock”, para definir um grupo ou um disco o qual gostamos. A mesma banda que particularmente soa como Rock, ganhou sub-gênero, rótulo e vários apelidos: Acid, Rock, Soft Rock, Art Rock, Arena Rock, Southern Rock, Stoner Rock, Modern Rock, Prog Rock, Hard rock e tantos outros.

   

Porém, foi em meados dos anos 60 que surgiu o Classic Rock, definição dada a músicos de Rock ‘N ‘ Roll, surgidos naquela década, passando pelos anos 70 , indo até o começo dos anos 80. Embora, não seja especificamente um estilo, o rótulo foi dado a bandas como: Beatles, Kinks, Rolling Stones, The Who, Led Zeppelin, Creedence Clearwater Revival, Yardbirds, Free, Cream, Bad Company e tantas outras.

Abrindo um espaço para o estilo, vamos falar de discos (e grupos) que merecem atenção e audição especial. Alguns destes, por trazerem em sua sonoridade, elementos simples e sonoridade que influenciou e continua influenciando inúmeras bandas. Algumas delas, chamadas de “Nova Geração do Rock”.

Preparem seus ouvidos afinal de contas, “Isto..É Clássico“.

Nossa Máquina do Tempo aporta em 1980 em Belleville (Canadá), país de bandas relevantes e importantes na história da música pesada. De lá, vieram nomes como: Helix, Loverboy, Saga, Winter Rose, Anvil, Change of Heart, Kataklysm, Exciter, Femme Fatale, Kick Axe, Triumph, Rush e Lee Aaron, cantora que despontou para o sucesso graças aos singles “Metal Queen”, “Whatcha Do To My Body” e “Sex with Love”, que fizeram grande sucesso no comecinho dos anos oitenta e com eles a promessa de uma novo nome reinando na cena do Hard/Heavy Mundial.

A estreia de Lee Aaron, aconteceu em 1982 com o álbum “Lee Aaron Project”, disco que trazia boas faixas e como dito anteriormente, a promessa de um novo nome feminino no Hard ‘N Heavy mundial. Porém, foi em 1984 com “Metal Queen”, segundo álbum da carreira que ela se deu bem. Lançado em 24 de fevereiro de 1984 o disco contém 10 faixas inéditas onde o destaque vai para a faixa título que logo após seu lançamento, atingiu a 69a (!) posição do RPM Canadian Albums Chart, onde permaneceu por duas semanas consecutivas e seu clipe rolando a exaustão nas programações “Rockers” da época. Comercialmente, “Metal Queen” foi um grande sucesso na carreira da artista que lançaria outros discos posteriormente, porém em algum momento da carreira ela mudaria seu estilo investindo em outras vertentes que foram do Pop ao Jazz, se distanciando assim do estilo que a consagrou.

Em 2016 no álbum “Fire and Gasoline”, Aaron, resolveu que era hora de voltar ao Rock adicionando assim alguns riffs de guitarras mais nervosos em algumas canções. Em 2018 “Diamond Baby Blues”, também trouxe um pouco mais de peso em algumas canções voltadas ao Rock. Com isso, vemos uma provável volta às origens e ao estilo que a consagrou, enterrando talvez aquela fase totalmente “soft” (e chata) de alguns discos que não representavam o real estilo da belíssima Lee Aaron.

Ainda sobre “Metal Queen”: Álbum grandioso, indicados aos amantes do Hard ‘n Heavy, composto por faixas grandiosas e todas elas, dignas de destaques.


Integrantes:

Lee Aaron (vocal)

John Albani (guitarra)

George Bernhardt (guitarra)

Jack Meli (baixo)

Frank Russell (bateria)

Faixas:

01-Metal Queen

02-Lady Of The Darkest Night (

03-Head Above Water (

04-Got To Be The One

   

05-Shake It Up

06-Deceiver

07-Steal Away Your Love

08-Hold Out

09-Breakdown

10-We Will Be Rockin’

Redigido por Geovani Vieira

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Veja também

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PARCEIROspot_img

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
222SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações