PUBLICIDADE

Resenha: Surgical Strike – “Part Of A Sick World” (2020)

Apresentando, Surgical Strike.

   

É Teutonic Thrash Metal que dizem? Pois então, vamos lá. Surgical Strike foi formado em Hanover em 1993, estando na ativa até 1996. A banda retornou em 2014, lançando seu primeiro registro, EP “V-II-XII”, em 2016 e, finalmente em 2020, seu primeiro full-lenght, “Part Of A Sick World”. Trata-se de um Thrash rápido e brutal, aos moldes da escola alemã desse subgênero, no entanto, mesclado a outras influências.

Divulgação / Metalville / SURGICAL STRIKE

O cartão de visitas do álbum é a veloz faixa “Dead End Gone”. Ela é, ao mesmo tempo, uma avalanche visceral de peso e crueldade contra as orelhas, que varia para um trecho mais cadenciado, no qual o guitarrista Além disso, Marcelo Vasquez Rocha demonstra todo o seu feeling e técnica.

“Failed State”

Tão veloz quanto à anterior, “Failed State” mostra uma banda madura, que faz Thrash moderno, porém sem invencionices. Abrindo com riffs e bends matadores, “Politicians” revela o perfeito entrosamento entre os guitarristas Marcelo e Frank Ruhnke. Os solos são, inegavelmente, diferenciados.

“Conspiracy” tem certa semelhança com Exodus, porém, evidencio que a banda é diversificada, tendo também influências fora do Thrash alemão. Cada novo solo de guitarra parece superar os que foram tocados, anteriormente. “Below Zero” não tem a velocidade das primeiras faixas, mas é tão pesada quanto, tendo uma pegada mais americana que europeia.

“Lambs To The Slaughter”

O baterista Moritz Menke impressiona com os seus contratempos. porém, a influência em Exodus volta a ficar evidente em “Lambs To The Slaughter”. Isso não significa dizer que copiam a clássica banda norte-americana, pois têm personalidade própria em todas as canções do disco. “Lambs To The Slaughter” é a minha favorita do debut.

Reprodução / Facebook / Jens Albert

“Not In This Life” é simples, direita e perfeita, dando nício a parte final do trabalho de estreia do Surgical Strike , preparando o ouvido para a canção título, a qual vem em seguida. “Part Of A Sick World” é a mais longa e trabalhada música do full-lenght.

São 6m12s do mais puro Thrash Metal, tendo momentos mais acelerados, assim como outros mais cadenciados, equilibrando técnica, violência sonora e feeling.

A derradeira trinca se inicia com “Confrontation”. A bateria de Moritz volta a ser destaque, simplesmente, quebrando tudo. “Sorrow Of War”, o penúltimo suspiro do disco, tem um lindo solo que termina com um maravilhoso dueto entre os guitarristas. A apoteose fica por conta da canção “The Breed”, a qual mantém o altíssimo nível das outras dez faixas desse magnífico registro dos alemães do Surgical Strike.

Audição obrigatória para fãs de Thrash Metal, tanto da escola americana, quanto da europeia.

Congratulations, Surgical Strike.

   

Nota 8,9

Integrantes:

  • Marcelo Vasquez Rocha (guitarra)
  • Jens Albert (vocal)
  • Florian Seybecke (baixo)
  • Moritz Menke (bateria)
  • Frank Ruhnke (guitarra)

Faixas:

  • 1.Dead End Gone
  • 2.Failed State
  • 3.Politicians
  • 4.Conspiracy
  • 5.Below Zero
  • 6.Lambs To The Slaughter
  • 7.Not In This Life
  • 8.Part Of A Sick World
  • 9.Confrontation
  • 10.Sorrow Of War
  • 11.The Breed

Redigido por Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -