PUBLICIDADE

GARIMPO MUNDO METAL: CRIMSON DAWN

Mundo Metal apresenta: Crimson Dawn

   

Criamos este quadro para você que não se contenta com o óbvio. Ele foi feito para todo aquele que, apesar de amar os medalhões, sabe que são as bandas menores que precisam de mais atenção. E quer algo melhor do que começar as suas garimpagens à partir das nossas garimpagens?

Seja bem vindo ao GARIMPO MUNDO METAL.

A partir de hoje, suas audições vão ficar muito mais interessantes. Nós garantimos.

Crimson Dawn

“In Strange Aeons” (2013)

Em 2005, na cidade italiana de Milão, na região da Lombardia, nascia a banda de Epic Doom/Heavy Metal, Crimson Dawn, no entanto, seu primeiro registro, o full lenght “In Strange Aeons”, só chegou oito anos mais tarde. Anteriormente, no ano de 2009, eles participaram do slipt “Force of Glory – Melodic Metal Compilation Vol. 1”, juntamente com as bandas: Mytholic, Black Masquerade, Андем e Legend.

Desde que iniciou sua discografia, a sonoridade do sexteto milanês sempre mesclou Doom e Heavy Metal com atmosfera épica. Em 2015, quase em seguida ao debut, saiu o EP “At the Cemetery Gates”. A fim de conferir ambos os registros, utilize os links abaixo:

“Chronicles of an Undead Hunter” (2017)

Quatro anos após o lançamento do primeiro full lenght, chegou “Chronicles of an Undead Hunter”, já pelo selo que distribui a banda atualmente, Punishment 18 Records. Não notamos nesse segundo disco nenhuma importante mudança nas composições, salvo que o subgênero Epic Doom Metal se sobressai em relação ao Heavy Metal. Contudo, essa mudança não chega a representar alguma notável metamorfose não canções.

Sem dúvidas, o sexteto se sai melhor equilibrando os dois subgênero que compõe o seu estilo híbrido. Além disso, tenho que destacar o tecladista Emanuele Laghi, o qual é responsável por uma excelente pitada de década de 70 na música do Crimson Dawn.

“Inverno” (2020)

Em 27/3/2020 foi a vez do terceiro álbum completo, “Inverno”. Nesse lançamento, notamos um crescimento na produção de estúdio, não que antes não houvesse qualidade, mas tudo subiu de nível, nitidamente. O vocalista Antonio Pecere, inegavelmente, potencializou a sua performance em “Inverno” e a música dos milaneses cresceu.

Logo depois do lançamento do terceiro álbum, Antonio Pecere deixou a banda, sendo substituído por Claudio Cesari, que no ano seguinte já registrou o EP “The Open Coffin”.

“It Came from the Stars” (2023)

Finalmente, em 28/4/2023, pela Punishment 18 Records, saiu o quarto full lenght da discografia do Crimson Dawn, “It Came from the Stars”, sendo porém, o primeiro álbum completo de Claudio Cesari como vocalista. Como resultado, temos aqui o melhor registro da carreira do grupo, inclusive, conquistando o quarto lugar na lista dos melhores de 2023 do Mundo Metal na categoria Doom Metal.

   

É verdade que o crescimento da banda já começara em “Inverno” de 2020, entretanto, com a entrada de Cesari, que tem uma voz ainda mais Epic Heavy Metal do que a banda contava em seus primórdios, esse crescimento se intensificou.

Todas as faixas são absurdamente perfeitas, mas a canção cantada em italiano, “Nera Sinfonia”, é a cereja do bolo do disco “It Came from the Stars”. Dessa forma, temos aqui uma obra para audição obrigatória!

Atualmente, o line-up do Crimson Dawn é: Alessandro Reggiani Romagnoli (baixo), Luca Lucchini (bateria), Dario Beretta (guitarra e vocal), Marco Rusconi (guitarra), Claudio Cesari (vocal) e Lele Triton (teclado).

Garimpeiro da vez: Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -