PUBLICIDADE

Clássicos: U.F.O – “Force It” (1975)

“Force It” é o quarto full lenght da banda britânica de Hard Rock, UFO. Ele sucedeu o álbum ”Phenomenon”, o qual saiu no ano interior, que marcou a estreia no grupo do jovem guitarrista alemão Michael Schenker (ex-Scorpions), aquele que imortalizou os hits “Doctor, Doctor” e “Rock Bottom”.

   

A capa de “Force It” sofreria cancelamento nos dias atuais. Ela se refere às mulheres, muitas vezes até casadas, que têm fantasias eróticas com encanadores e requisitam os seus “serviços” de “maneira forçada”, sem a mínima necessidade, só para satisfazerem seu fetiche pelos “maridos de aluguel”.

Outra referência a isso pode ser encontrada no videoclipe de “Tease Me, Please Me” do Scorpions, no qual o objeto de desejo é o jardineiro. Hoje tal capa seria acusada de machismo, misoginia e sexismo.

Porém, naquela época, Metal e Rock significavam liberdade e a “patrulha do politicamente correto” sequer existia. Bons tempos aqueles.

UFO / Acervo

U.F.O in concert:

Tive duas experiências incríveis com o U.F.O. Os vi nas duas vezes que passaram pelo Brasil, em 2010 e 2013, em ambas as oportunidades no Carioca Club em São Paulo/SP, todavia os veria quantas vezes viessem para cá.

O concerto de 2010 abriu com “Let It Roll”, que é a primeira faixa do “Force It”. Foi tão incrível, que me tornei ainda mais fã deles e do álbum em especial. Eis um Hard Rock que pega na veia, enquanto faz disparar o coração.

No palco estava Vinnie Moore, porém todos os geniais solos criados por Michael Schenker ficaram intactos. Deu para sentir isso no fundo da minha alma na hora do break down, o solo cheio de feeling tirou os meus pés do chão e por alguns instantes o paraíso foi realidade absoluta pra mim.

SHOOT SHOOT:

O bis desse show foi justamente “Shoot Shoot”, aliás, segunda canção do “Force It”. Hard estilo diversão, balada e com o espírito 100% Rock’N’Roll de ser.

“Ela disse ‘atire, atire, atire, garoto’ você sabe atirar o que né?”

“(Estaria ela pedindo para o cara gozar nela? Fica o questionamento)”

Você tem que atirar para mim / Ela me convenceu.”

“High Flyer” é uma canção bem mais calma, uma balada, porém com pitada Prog, que remete a sonoridade do disco anterior, “Phenomenon”.

Não preciso dizer que o solo de Schenrker é mais uma vez divinamente perfeito. Das músicas que não viraram clássicas desse disco, embora foram poucas, “Love Lost Love” é a minha favoritíssima.

Imagine um solo capaz de me deixar feliz só por escutá-lo. Entretanto, Michael Schenker não estava pra brincadeira nessa gravação, sua inspiração e criatividade estavam em alta naquele momento.

“Do antigo amor perdido, para onde você irá / Quando o show acabar / Ninguém quer saber.”

   

Pura diversão de sábado à noite. Essa sempre foi a verdadeira alma do Rock’n’Roll, jamais separar as pessoas em grupos discriminados, todavia é necessário que reaprendam essa lição atualmente.

“Sábado à noite, sozinho / Procurando por alguma emoção / Tente pegar a última música da banda / Passe de bastidores realmente mostrando (o que quer) / Sinto que é onde eu (realmente) pertenço.”

Essa é a minha vida. Essa é a sua?

Pete Way / Michael Shenker / “Force It”

“OUT IN THE STREET” E “MOTHER MARY”, DOIS CLÁSSICOS DO “FORCE IT”:

“Out In The Street” é o terceiro clássico do full lenght. Ele mescla a nova sonoridade que estava nascendo desde o ingresso de Michael Schenker na banda. Impressionante o timbre do baixo de Pete Way, além do som da batera de Andy Parker.

Os vocais de Phil Moog no auge do feeling. Além disso, um toque Progressivo que vem dos dois primeiros registros da banda se mistura com a atual cara mais Hard Rock e constrói linda canção. Vamos a mais uma faixa clássica?

“Mother Mary” soou ainda melhor no palco para mim, pois, o saudoso tecladista Paul Raymond tocou a segunda guitarra e isso fez com que ela soasse ainda mais pesada. No estúdio, porém, o tecladista foi Chick Churchill do Ten Years Afer, que não era membro oficial do UFO.

Paul Raymond:

Raymond passou a integrar o U.F.O em 1977 no clássico absoluto “Light’s Out”.

“Mãe Maria, você poderia realmente sentir o mesmo que eu sinto / E você tentaria entender um menino colonial selvagem?”.

A verdade é que Mother Mary é o meu Hard favorito no registro.

Pete Way / Acervo

“Too Much Or Nothing” mescla novamente a veia Prog, mas com o Hard Rock. Phil Moog se destaca por mais uma de suas fantásticas interpretações vocais. A criatividade rítmica de Andy Parker deu a essa canção uma atmosfera ímpar, fomentada ainda mais pelas linhas de baixo cortantes de Way.

“Eu realmente tentei o meu melhor, apenas para fazer você entender / (Qual) a sensação de um menino, quando ele não se sente como um homem / Mas você me deu tanto dinheiro / E você não entenderia / Eu percebo que te machuquei, então eu permaneço como estou / Mas o mundo inteiro continua.”

Phil Moog / UFO / Acervo

“Dance Your Life Away”, Hard estilo americano no “Force IT”:

Até esse momento toda a pegada Hard Rock soa inglesa. Porém, em “Dance Your Life Away”, a influência do Hard Rock 70’s americano parece nítida. A jinga me remete a bandas como Grand Funk Railroad, Aerosmith, Kansas, ou seja, sonoridades da América, porém a personalidade do UFO está totalmente presente, é bom deixar isso bem claro. O quinto e último clássico do disco, o encerra.

   

Também tive o prazer de senti-lo ao vivo em 2010, a propósito, todos os clássicos do “Force it” foram executados. Pensem em um fã-boy feliz?

“The Kids (including Between The Walls)” soou fantástica ao vivo, ademais com a performance de Paul Raymond. Fico imaginando, se ele já estivesse no “Force It”. Bom, são somente sonhos de um “garoto selvagem”, contudo amante de Hard Rock/Metal e de U.F.O.

“The Kids”, como ela é simplesmente chamada, misturou a veia Hard Rock, Prog e Blues em mais um fantástico hino para ser entoado nos palcos.

Se você por acaso não conhece esse disco, não conhece a felicidade plena. Desfaça esse erro absurdo já.

Nota: 9,5

Integrantes:

  • Phil Mogg – (vocal)
  • Michael Schenker (guitarra)
  • Pete Way (baixo)
  • Andy Parker (bateria)
  • Chick Churchill (teclado)

Faixas:

  1. Let It Roll
  2. Shoot Shoot
  3. High Flyer
  4. Love Lost Love
  5. Out In The Street
  6. Mother Mary
  7. Too Much Or Nothing
  8. Dance Your Life Away
  9. The Kids (including Between The Walls)

Redigido por: Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -