PUBLICIDADE

Clássicos: Thin Lizzy – “Black Rose – A Rock Legend” (1979)

“Black Rose – A Rock Legend” é o nono full lenght da saudosa banda irlandesa de Hard Rock, Thin Lizzy, sendo o sucessor do clássico “Bad Reputation”, lançado em 1977.

Ao escrever a resenha de um clássico, em mais um oportunidade, me deparo com um álbum que me proporcionou, e ainda me proporciona, estado de pleno êxtase. O atual álbum de Blaze Bayley com o Wolfsbane, “Genius”, me trouxe uma imensa vontade de revisitá-lo e escrever sobre ele, então, aqui o fiz.

   

O primeiro destino dessa viagem pela “Lenda do Rock” é “Do Anything You Want To”. Eis um cartão de visitas perfeito para um disco do Thin Lizzy. A dupla de guitarristas, Gary Moore e Scott Gorham, encanta com os seus duetos, os quais influenciaram muitas sonoridades, posteriormente. O refrão e a tradução da liberdade que o Rock e o Metal sempre significaram para mim. Talvez fosse até desnecessário falar sobre a performance ímpar do saudoso frontman, Phil Lynott, porém, é impossível não citar sua musicalidade e o seu feeling absurdo. “Toughest Street In Town” intensifica as qualidades de sua antecessora, mantendo aquela inconfundível marca registrada da música do Thin Lizzy.

“S & M” muda a fórmula das duas primeiras, sendo divinamente mais “swingada”. A forma com a qual Lynott pronuncia a letra “M” é inesquecível desde a primeira vez que escutei essa canção, aliás, me fez entender, definitivamente, sua pronuncia em inglês. Além do lindo solo de Scott Gorham , destaco também o solo de bateria de Brian Downey e a linha de baixo de Phil. “Waiting For An Alibi” resgata aquela agradabilíssima receita inicial com um refrão que parece superar a aquecida atmosfera dos demais. Estamos diante de uma obra que não para de crescer da primeira a última faixa. Na balada “Sarah”, Lynott homenageia sua filha com o acréscimo de um solo impagável de Moore.

Quando parecia que estávamos diante de mais uma balada, “Go To Give It Up” surpreende, fazendo o coração acelerar a ponto de parecer que vai fugir através da boca. Essa canção emana uma energia fabulosa, proporcionada, seguramente, pela genialidade dos músicos que a gravaram. “Get Out Of Here” foi escolhida a dedo para vir na sequência e incendiar de vez o ambiente de pura festa de Rock’N’Roll. Uma mistura entre 60’s e 70’s com um toque personalizado do Thin Lizzy. Qual a chance de dar errado? Zero por cento. “With Love” pode ser definida como Hard Rock mais comercial, pois, em 1979, não podemos esquecer que o AOR estava em alta e é mais do que normal admitir que ele influenciou muitos artistas, mesmo aqueles não especialistas no subgênero.

Se tivesse acabado aqui, esse disco já seria um dos mais lindos que eu já ouvi, porém, por incrível que possa parecer, o melhor ainda estava por vir.

THIN LIZZY / Reprodução / Acervo

”’Róisin Dubh’ (Black Rose): A Rock Legend”, a qual faz referência ao título, tornou-se, verdadeiramente, uma Lenda do Rock, pelo menos para mim, porém creio que também para muitos, assim como eu. A letra é envolvente, cheia de personagens e mistérios e parece que algumas outras canções do Thin Lizzy são parte integrante da história. O solo de guitarra está entre os dez mais lindos que já tive o prazer de ouvir em toda minha vida e todas as vezes que o escuto novamente me arrepio. Essa canção é uma obra de arte dentro de outra obra de arte. Felizes são aqueles que tiveram o prazer em conhecer e sentir de verdade todos os bons fluídos que ela transmite. Não há palavras que sejam suficientes para explicar o que se sente. Só a audição é capaz de explicar.

“Digam-me as lendas de muito tempo atrás / Quando os reis e rainhas dançavam / No reino da Rosa Negra / Toque-me as melodias que eu quero saber / Para que eu possa ensinar meus filhos / oh Reze, conte-me a história do jovem Cuchulainn / Como seus olhos estavam escuros sua expressão taciturna / E como ele lutava e sempre ganhava / E como eles choraram quando ele caiu / Oh, conte-me a história da rainha desta terra / E como seus filhos morreram por suas próprias mãos / E como os tolos obedecem aos comandos / Oh, conte-me as lendas de muito tempo atrás / Onde as montanhas de Mourne / Desceram para o mar / Ela não vai voltar para mim? Ela não vai voltar para mim? / Oh Shenandoah, eu ouço você chamando / Longe você está no rio, rolante / Role para baixo do lado da montanha / Para baixo, para baixo / Lassie vai / Oh, conte-me as lendas de muito tempo atrás / Quando os reis e rainhas dançavam / Nos reinos da Rosa Negra / E me toque as melodias para que eu saiba / E eu posso dizer aos meus filhos, oh Meu Roisin Dubh é meu único e verdadeiro amor / Foi uma alegria, que Joyce me trouxe / Enquanto William Butler espera / E Oscar, ele está ficando louco / Ah claro, Brendan, onde você esteve? Procuro uma garota de olhos verdes / Minha Rosaleen escura é minha colleen / Que Georgie sabe melhor / Mas Van é o cara de fome mais uma vez / Bebendo uísque na jarra / oh playboy do mundo ocidental de Synge / Como Shaw, Sean eu nasci e fui criado lá / Onde as Montanhas de Mourne / Descem para o mar / É um longo, longo caminho de Tipperary.”

Impossível esquecer!

Nota 9,1

Integrantes:

  • Gary Moore (guitarra) R.I.P
  • Phil Lynott (vocal e baixo) R.I.P
  • Scott Gorham (guitarra)
  • Brian Downey (bateria)

Faixas:

  • 1.Do Anything You Want To
  • 2.Toughest Street In Town
  • 3.S & M
  • 4.Waiting For An Alibi
  • 5.Sarah
  • 6.Go To Give It Up
  • 7.Get Out Of Here
  • 8.With Love
  • 9.”Róisin Dubh” (Black Rose): A Rock Legend

Redigido por Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Veja também

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PARCEIROspot_img

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
222SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações