PUBLICIDADE

Black Sabbath: saiba quais os riffs mais especiais da banda segundo Tony Iommi

Se existe uma característica marcante em toda a discografia do Black Sabbath, são os riffs compostos pelo guitarrista Tony Iommi. Podemos discutir sobre o seu vocalista favorito, sobre a sua fase preferida ou o disco que mais representa a banda. Mas uma coisa não está sob judice e é absolutamente unânime: Iommi é um mega compositor de riffs históricos.

   

Durante uma nova aparição em um episódio do programa Loudwire Nights, o próprio Tony Iommi foi convidado a nomear um riff que ele sabia que seria especial assim que o escreveu. Ele disse o seguinte:

“Bem, sem querer parecer presunçoso, mas havia alguns deles (Risos). Quando toquei o riff de ‘Black Sabbath’ pela primeira vez, imediatamente, eu soube. Simplesmente tinha essa vibração e esse sentimento e era algo tão diferente naquela época que você nunca tinha ouvido esse tipo de coisa antes. E eu não sei como tudo aconteceu, não sei de onde peguei a referência para aquele álbum. Mas depois que fizemos ‘Wicked World’ e ‘Black Sabbath’, o resto das músicas fluíram. E o mesmo aconteceu com o riff de ‘Sabbath Bloody Sabbath’. Outro riff que eu realmente gostei, e esse era o favorito de Eddie Van Halen, para ser honesto, é o de ‘Into The Void’. Ele sempre dizia, ‘oh, toque ‘Into The Void’.’ Então era ótimo ouvir isso vindo de alguém como Eddie. Então, há alguns outros desse tipo, para mim, ‘Iron Man’, com certeza. Oh, há muitos que realmente significaram alguma coisa. Bem, todos eles significaram alguma coisa, mas são eles que meio que se destacaram inicialmente.”

Reprodução

Quando questionado sobre o trítono que ficou conhecido como “The Devil’s interval”, que é onde o riff de Black Sabbath se situa, Iommi disse:

“Sim, é verdade, foi o que abriu a lata de vermes para nós, é claro. Você escolhe algo assim e os religiosos vieram ao show. Oh, querido, recebemos muitas críticas da igreja e dos satanistas e Deus sabe o que mais nos primeiros dias.”

Iommi ainda comentou se possui algum arrependimento sobre ter incluído o tema religião na música da banda:

“Certamente chamou a atenção de todos para isso. Então, acho que foi ótimo para nós. Fizemos isso e pronto. Foi algo muito diferente. Eu nem percebi, na época eu nem pensei nisso como algo assim, ‘vamos incluir religião’, apenas me atraiu quando toquei o trítono e foi tudo. E então Ozzy Osbourne apareceu com aquela linha melódica e Geezer Butler escreveu a letra, então tudo se encaixou e soou certo. E esse foi o nosso lançamento, na verdade. E todo esse tipo de coisa, e sem Internet, era tudo no boca a boca, então você realmente tinha que ir e tocar nesses lugares e construir uma reputação. E essa reputação podia ser boa ou ruim, de qualquer maneira, mas você tinha que fazer isso fisicamente… Se fosse a Internet naquela época, quem sabe o que teria acontecido?”

PUBLICIDADE

Comentários

  1. Se alguém me pergunta se eu sou católico, evangélico ou sei lá o quê????Logo respondo, sou metaleiro…graças ao Sabbath e outras bandas!!!! A verdade é que ouvir Sabbath já é uma religião!!!! valeu!!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -