PUBLICIDADE

[ Vale a pena ouvir de novo! ] Living Death – “Vengeance Of Hell” (1984)

Setembro de 1984: Liderados pelo genial King Diamond, o Mercyful Fate despontava com “Don’t Break The Oath”, segundo excelente trabalho e o sucessor do excepcional “Melissa”, lançado no ano anterior.

Contendo 10 faixas inéditas divididas em pouco mais de 45 minutos, o disco foi produzido pelo dinamarquês Henrik Lund, que também produziu “Melissa”.

   

Na época de seu lançamento, “Don’t Break The Oath” foi considerado como “O maior álbum de Metal extremo de todos os tempos”.

Novembro de 1984: O quarteto americano Omen, lançava o estupendo “Battle Cry”, álbum de estreia e indiscutivelmente um dos melhores trabalhos da banda e também do início dos anos 80.

Contendo 10 canções, o disco foi classificado pela Metal Hammer como o “16º melhor álbum de Heavy Metal de todos os tempos”.

Enquanto isso, os alemães do Living Death lançavam o magnífico “Vengeance Of Hell”, álbum de estreia contendo 10 excelentes temas divididos em apenas 39 minutos de duração.

Apesar da qualidade da produção que deixou a desejar, o disco vendeu bem e foi muito bem recebido pelos fãs de Heavy/Thrash/Speed Metal. A fim de divulgar seu trabalho, o quinteto saiu em turnê ao lado do Warlock, banda que trazia a encantadora (na época) Doro Pesch nos vocais.

Nos anos seguintes o grupo lançou três EP s, sendo um deles “Ao vivo”, além de quatro álbuns completos, sendo “Killing Action”(1991) seu último registro antes de encerrarem as atividades.

Em 2002 “Vengeance Of Hell” ganhou seu primeiro relançamento e anos depois ganharia também uma nova mixagem e masterização, o que deixou a produção melhorada e bem diferente de sua gravação original.

Após o lançamento de Worlds Neuroses em 1989, Toto, Fred e Atomic Steif deixaram a banda. Enquanto eles formavam uma nova banda sob o nome de L.D, os remanescentes do Living Death, os irmãos Reiner Kelch e Dieter Kelch reformularam a banda adicionando três novos membros.

Tal situação gerou certa confusão, já que os dois grupos foram chamados pela mídia de Living Death. Após toda confusão armada, o então “L.D” mudou seu nome para Sacred Chaos, nome retirado de uma música do Living Death.

Sob o novo nome (Scared Chaos), lançaram um EP, sendo este o único registro e nada mais se ouviu falar da banda.

O Living Death ainda lançaria um disco de inéditas em 1991, o já citado “Killing Action” antes de decretarem o fim das atividades.

PS: Em maio de 2015 a gravadora Showtime, lançou “Thrash Metal Packet”, Boxed Set contendo três discos. São eles: “Back To The Weapons” (EP-1986), “Protected From Reality” (1987) e “Worlds Neuroses” (1989).

Aos amantes dos estilos Heavy, Thrash e Speed Metal… Vale a pena ouvir de novo.

  • Integrantes:
  • Thorsten “Toto” Bergmann (vocal)
  • Reiner Kelch (guitarra)
  • Frank Fricke (guitarra)
  • Dieter Kelch (baixo)
  • Eric (bateria)
  • Faixas:
  • 01.You And Me
  • 02.Living Death
  • 03.Night Light
  • 04.My Victim
  • 05.Labyrinth
  • 06.Heavy Metal Hurricane
  • 07.Hellpike
  • 08.Riding a Virgin
  • 09.Vengeance Of Hell
  • Redigido por Geovani Vieira
PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Veja também

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PARCEIROspot_img

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
220SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações