PUBLICIDADE

The Halo Effect: Jesper Strömblad (ex-In Flames) fala sobre sua luta contra a depressão

Jesper Strömblad, ex-membro fundador do In Flames e que encabeça a nova banda de Death Metal Melódico, The Halo Effect, falou sobre seu vício em álcool e o porque ficou de fora dos últimos shows da banda. Jesper revelou que o motivo de sua ausência foi para tratar de seu vício e disse também que todos os seus colegas o apoiaram nessa jornada.

   

Ele contou:

“Eles me protegem. Eles sabem que, se fizermos alguma coisa na mídia e eu disser que tenho que pagar a fiança porque um ataque de pânico está chegando ou algo assim, eles ficam tipo, ‘Sim. Apenas vá. Nós cobrimos para você.’ Eu tenho essa rede de pessoas me apoiando desta vez. Então, estarei de pé e estarei em todo o meu potencial mais cedo ou mais tarde. Eu recebo tanto amor. Fiquei tão aliviado ao ler os comentários. Não é tipo, ‘Oh, não de novo. Você nunca aprende.’ Foi tudo apenas amor E isso me ajuda muito. E também que eu tenho um apoio tão grande da banda e de todos os envolvidos com a banda, isso me deixa ainda mais motivado para ficar bem.”

Jesper ainda revelou mais:

“Desenvolvi algum tipo de depressão. Quero fazer coisas, mas não posso fazer isso. Parece estranho, eu sei, mas é assim que a doença se manifesta. Então nunca posso dizer: ‘Ah, temos um show em duas semanas. Ok, eu estarei lá.’ Talvez nesse dia eu tenha um bom dia, mas nunca posso garantir isso no dia a dia. Então é isso que eu tenho que ajustar, tenho que religar. E ainda falta trabalho. Mas tenho bons médicos comigo que me ajudam.”

Ele também contou como está lidando com seu vício:

“Eu sempre disse sim a tudo, basicamente – como anos atrás, ‘Vamos fazer isso. Vamos fazer isso. Ok, bem, sim. E então eu bebi para lidar com isso. Este é apenas um exemplo. Mas agora estou apenas ouvindo meu corpo, e se ele diz: ‘Não, mas você não deveria fazer isso, ‘ então eu não estou fazendo isso E todo mundo está bem com isso. E isso é tão, tão bom, ter esse apoio da banda… E também é muito motivador para que eu fique bem e volte ao palco. quero estar no palco agitando. Estou tão frustrado que não posso, mas tenho que ouvir meu corpo. Há um plano elaborado, e se eu apenas tiver disciplina que me falta – tenho que encontrá-lo mas estou muito otimista. Logicamente, estou muito feliz – sei o que está acontecendo – mas não consigo sentir. É estranho e frustrante. E se você ainda não experimentou, é muito difícil tentar imaginar do que estou falando. — Ei, não é tão ruim. Levante o queixo. Se fosse tão fácil, eu faria. Mas esse não é o caso. Tenho mais dias bons do que dias ruins; está melhorando, tipo, mais dias bons do que dias ruins.”

Reprodução / Facebook

Até mesmo o pensamento de Jesper vem mudando:

“Sou meio pessimista; sempre fui. E agora digo a mim mesmo: ‘Por que sempre acordo e digo que vai ser um dia de merda? seja um ótimo dia.’ Você nunca sabe o que vai acontecer. Uma mentalidade mudada – um cérebro reconectado para se livrar da depressão. Tenho uma ajuda muito boa. Mas leva tempo. Eu diria que é um tipo de estresse pós-traumático que eu tenho que passar e tenho que lidar, que eu sempre fui em frente por causa da banda ou por causa de um relacionamento ou qualquer outra coisa. Mas agora eu tenho pensar em mim cem por cento. Porque é melhor eu ficar de fora da turnê e voltar e estar cem por cento, em vez de ser sempre mais ou menos. Estou meio cansado de ser mais ou menos. Eu quero estar em todo o meu potencial novamente. E eu estou no meu caminho – eu estou. Eu posso sentir isso. O vício me levou à depressão, e isso é uma doença. E isso não é nada para se envergonhar. Isso pode acontecer com qualquer um a qualquer momento. E se eu contar minha história e for honesto com ela, talvez possa inspirar um cara a dar esse passo e dizer: ‘Bem, talvez eu tenha a percepção de que tenho um problema com álcool’ ou ‘tenho um problema com drogas’. Porque ser um bêbado em negação é como um trabalho de tempo integral, eu te digo isso… E eu estou tão cansado disso.”

Esperamos que Jesper consiga vencer seus vícios e retorne com orgulho a fazer o que ama!

The Halo Effect contratou Patrik Jensen, do The Haunted, para substituir Jesper em shows que ele não esteja se sentindo bem para fazer. O debut, “Days Of The Lost”, saiu dia 12 de agosto via Nuclear Blast Records.

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -