The Halo Effect: entenda como 5 ex-membros do In Flames se juntaram neste novo projeto

PUBLICIDADE

O The Halo Effect é uma formada por 5 ex-integrantes do In Flames. São eles: o guitarrista Jesper Strömblad, o baterista Daniel Svensson, o baixista Peter Iwers, o guitarrista Niclas Engelin e o vocalista Mikael Stanne. Mas como ocorreu esta espécie de reunião? O vocalista Mikael Stanne explicou em uma nova aparição no podcast “Heavy Hops”:

“Estes são basicamente todos os meus velhos amigos da área. Gotemburgo é pequena e sempre foi muito incestuosa em termos de integrantes de banda, todos sempre estavam indo e voltando para suas bandas.”

Desta vez, em uma explicação mais detalhada, Stanne falou:

“Eu fui perguntado por Niclas Engelin, que eu conheço desde que ele… Nós tocamos nosso primeiro show juntos com uma antiga banda que ele tocou que chamava Sarcarzm, isso foi antes do Dark Tranquillity. Então é assim, uma amizade muito longa. Então ele me perguntou, tipo, ‘Vamos tocar um pouco de música juntos?’ E eu disse, ‘Claro. Seria bom.’ Eu estava muito envolvido na composição e gravação do último álbum do Dark Tranquility, ‘Moment’, mas disse, ‘Terminarei logo.’ Porque eu ainda estava meio que sentado em casa, gravando e cantando. Então eu pensei, ‘Envie-me algumas músicas. Vou ver o que posso fazer.’ E então Peter Iwersme ligou também e ele disse, ‘Provavelmente vou fazer parte disso com o Nicolas. E seria ótimo se pudéssemos fazer isso seriamente. E provavelmente podemos chamar Daniel também, ‘que tocou no In Flames também’, e talvez Jesper Strömblad também.’ E eu estava, tipo, ‘Isso parece bem foda.’ Isso é totalmente antiquado. Mesmo que alguns de nós nunca tenhamos tocado naquela constelação dos primeiros dias de In Flames, eu estava lá, e Jesper estava lá, e então os outros caras se juntaram mais tarde. Então foi tipo, ‘Tudo bem. Sim, porque não? Vamos ver o que podemos fazer. Então, é basicamente o tipo de coisa como retornar a algo que já fizemos. Mas para mim, é realmente como… Daniel estava na classe do meu irmão mais novo quando nós crescemos, então comecei a conhecê-lo porque ele entrou no Death Metal e ele começou sua banda Sacrilege que eu realmente amei. E Niclas sempre foi um guitarrista muito, muito proeficiente, tocando no Sarcazm e várias outras bandas que eu sempre ia assistir, e sempre saíamos no final dos anos 80 e início dos anos 90. E Peter, é claro, eu sabia, porque ele era irmão de Anders, que sempre foi meu amigo. E Jesper eu conheci durante nossos primeiros shows em talvez ’87, ’88 ou algo assim saindo em Valvet, que era o único tipo de lugar underground de Metal aqui em Gotemburgo no final dos anos 80 e início dos anos 90. Então, meio que fazia todo o sentido. Quando começamos a falar sobre tocar juntos, foi, tipo, ‘Ok. O que faremos então?’ Devemos apenas ver se podemos continuar, não de onde paramos, mas o que queríamos naquela época e ver se podemos nos atualizar com o que aprendemos por meio de nossas experiências coletivas. Então essa era a ideia. E tem sido incrível, apenas poder sair com velhos amigos já vale a pena. Por causa das agendas de turnê e tudo mais, nos últimos 15 anos ou mais, nós nunca realmente nos vemos muito. Mas agora temos a banda. Então tem sido super, super, super legal.”

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE
PARCEIROspot_img

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,663SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
151SeguidoresSeguir
960InscritosInscrever

Últimas Publicações