Ruídos & Sonidos: Sangre Azul [Espanha]

PUBLICIDADE

Banda: Sangre Azul

Pais De Origem: Espanha

Estilo: Hard Rock/Heavy Metal

Ano de Atividade: 1982 a 1992

Discografia: Obsesión (1987), Cuerpo A Cuerpo (1988), El Silencio De La Noche (1989).

Lives álbuns: Sangre Azul – En Vivo Rockodromo De Madrid (1989), Sangre Azul – En Vivo Anfiteatro Egaleo (1990).

Introdução

É fato que alguns países tornaram-se referências quando o assunto é Heavy Metal. Em alguns casos, algumas bandas conseguem chamar a atenção não apenas por sua música de qualidade mas principalmente por seu país de origem, cuja tradição é a de revelar grandes nomes dos mais variados gêneros. Alemanha, Suécia, Dinamarca, Reino Unido, Finlândia, Noruega, fazem parte da lista de países denominados “berços”, quando estes revelam novos nomes. Porém, na maioria das vezes os grupos que despontam e ganham notoriedade, usam o inglês (idioma) como linguagem principal, caso queiram explorar outras fronteiras e atingir o maior número possível de ouvintes e admiradores de sua arte.

Isso é uma regra? Não, Definitivamente não é! No entanto, está claro que são poucos os grupos que conseguiram um lugar mais alto do pódium cantando em sua língua mãe, principalmente se o estilo escolhido for o Heavy Metal. Por inúmeros motivos, as bandas se abstêm de seu idioma e passam a usar o inglês como conexão direta com seus fãs e claro, visando o sucesso. Como exceção é algo que se aplica a tudo e a todos, na música não poderia ser diferente e “regras” foram quebradas. Nadando contra a maré e conseguindo se firmar em sua proposta e principalmente, sendo fiéis à sua sonoridade e aos seus fãs, alguns desses grupos foram ou ainda são grandes nomes dentro de seu país de origem.Em alguns casos, a banda consegue ser grande também em outros países. Algumas delas carregam consigo status de “Grande”, lotando arenas, vendendo milhares de discos e principalmente, sendo muito bem reconhecidos por seus fãs devotos. Para falar um pouco sobre estas bandas e suas trajetórias, mergulhamos no mundo do RUIDOS & SONIDOS. De lá, trouxemos discos (ainda) desconhecidos por muito, mas que a partir de agora podem ser conferidos através de nossas dicas e recomendações.

Em nosso terceiro capítulo, vamos contar um pouco sobre a trajetória dos espanhóis do SANGRE AZUL, banda de Hard/Glam Metal, formada no início dos anos 80 em Madrid, Espanha.

Os primeiros passos aconteceram em 1982 quando José Castañosa (vocais), Carlos Raya (guitarras), J.A. Martín (guitarras), Júlio Maza (baixo), Luís Santurde (bateria), formaram a banda que inicialmente tocavam covers mas aos poucos foram compondo músicas autorais, deixando os covers de lado.

Em 1985 após participarem de alguns festivais nas regiões de Madrid, o grupo sagrou-se campeão e como prêmio ganharam a oportunidade de lançar um LP, dividindo espaço com outros dois grupos: Esfinge e Fúria Animal, respectivamente segundo e terceiro lugar no festival. Após as gravações do disco, o quinteto não gostou do resultado final e resolveram gravar um EP, contendo as mesmas 04 faixas presentes no disco anterior, além de um videoclipe.

Ainda em 1985 a gravadora Hispavox oferece um contrato para a gravação de um álbum e o resultado é “Obséssion”, debut lançado na metade de 1987. Contendo 10 excelentes faixas de um Hard Rock de excelente qualidade, o grupo também flerta com o Glam Rock em alguns momentos e canções como: Obsesión, Sediento De Sangre, Todo Mi Mundo Eres Tú, Maestro Del Crimen e Invadiendo Tu Ciudad, são os grandes destaques do disco.

Após mudanças de formação e desentendimentos entre integrantes e ex- integrantes que exigiam o “nome” da banda, finalmente as coisas se acertam e em 1988 lançam “Cuerpo A Cuerpo”, segundo disco de inéditas contendo 10 novas faixas.

Diferente de seu antecessor, o novo trabalho mostra-se superior, a começar pela produção primorosa, vocais mais intensos, flertes com o AOR, linhas de teclados mais evidentes, além de uma dose extra de peso em algumas músicas e passagens mais melódicas em determinados momentos.

Apresentando uma maturidade musical incrível (e em pouco tempo), o disco apresenta canções grandiosas como: No Eres Nadie, Cuerpo A Cuerpo, Nacido Para Ganar, Si Tu Te Vas, Mil Y Una Noches, Noches De Acción e Alejandría, esta última, uma excelente faixa instrumental.

*Apesar das faixas em destaques, é preciso enfatizar que temos aqui um um disco excepcional e indiscutivelmente o melhor trabalho do quinteto (em todos os aspectos).

O álbum marca a estreia do vocalista Toni, substituindo (e muito bem), José Castañosa.

“Cuerpo A Cuerpo” (o disco), despontou na cena hard espanhola elevando o nome do Sangre Azul, colocando-os na lista de bandas Mainstream da Espanha (na época) juntamente com o Niagara. Embora estes, diferentemente do Sangre Azul, cantassem em inglês. Meses após o lançamento de “Cuerpo A Cuerpo”, o guitarrista A.J Martín, um dos membros fundadores, resolve deixar o grupo.

Em 1989 o quinteto lança o excepcional “El Silencio De La Noche”, terceiro e último álbum da carreira. Trazendo uma pegada mais voltada ao Heavy metal, o novo trabalho marca a estreia do guitarrista Juanjo Melero, substituindo A.J Martín.

Mais uma vez o quinteto superou as expectativas e lançaram um trabalho de altíssimo nível com destaque para a produção caprichada, que dispensa comentários.

Em suas 10 faixas, destaques para: Abre Fuego, Cien Años de Amor, No Puedo Estar Sin Ti, A Golpes De Rock, Sólo Rock & Roll, Piel De Serpiente e Reyno Sin Ley.

O novo trabalho trouxe saldo positivo para o quinteto que excursionou por países como França, México e Estados Unidos, porém em 1992 após alguns problemas internos o grupo anuncia o encerramento das atividades.

Em 2005, a banda se reúne com José Castañosa nos vocais, Miguel Angel Lopez e Oscar Hernandez Napi nas guitarras, Antonio Tejada no baixo e Bernardo Bellaster na bateria, afim de realizar alguns shows. O retorno às atividades não foi o esperado, visto que a repercussão não foi a esperada pelos músicos, que resolveram encerrar pela segunda vez e provavelmente em definitivo as atividades.

PS: Em sua discografia, o grupo conta com dois registros gravados ao vivo durante os anos de 1989 e 1990. São eles: Sangre Azul – En Vivo Rockodromo De Madrid (1989) e Sangre Azul – En Vivo Anfiteatro Egaleo (1990).

Redigido por Geovani Vieira

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE
PARCEIROspot_img

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,663SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
151SeguidoresSeguir
960InscritosInscrever

Últimas Publicações