Resenha: Nazareth – “Surviving The Law” (2022)

PUBLICIDADE

“Surviving The Law” é o vigésimo quinto full lenght da carreira da banda escocesa de Hard Rock, Nazareth, o qual foi lançado no último dia 15 de abril, pelo selo Frontiers Music SRL.

Até essa audição, eu não havia ouvido nada do Nazareth depois da saída de Dan McCafferty e a entrada de Carl Sentance. Esse é o segundo registro de Sentance com o quarteto, pois ele gravou “Tattooed on My Brain”, lançado em 2018. Depois do disco “Big Dogz” de 2011, o qual eu tive a oportunidade de ver um show da turnê, não havia acompanhado mais.

Em “Surviving The Law” encontrei Hard Rock de extrema qualidade, canções divertidas, apaixonantes e refrãos grudentos. Tudo que eu mais admiro em uma banda de Hard, esse registro contém, apesar de eu torcer o nariz para o excesso de faixas, em suas catorze músicas, não notei nenhuma considerável queda de nível na audição. Há uma única observação a ser feita e que não chega a ser uma crítica. Apesar de ter adorado o disco, essa sonoridade não tem absolutamente nada a ver com Nazareth. Por que será? Talvez por Carl Sentance possuir estilo vocal completamente diferente de Dan McCafferty? Talvez! Não tenho certeza da resposta, só sei que não consigo notar o Nazareth ai, porém, concomitantemente, ouço um registro de Hard Rock que não deve nada para ninguém. A única canção que lembrou o Nazareth que eu conheço foi “You Made Me”, um Blues que finaliza o track list.

Divulgação / Facebook / NAZARETH

Destaco o single “Strange Days”, que ganhou versão em videoclipe, pois ele foi um excelente pontapé inicial para um trabalho de alto nível. O clipe também é ótimo. A faixa que mais gostei do vocal de Sentance foi “Mind Bomb”, que também é uma das minhas favoritas. A trinca entre ela e a canção de abertura formada por “You Gotta Pass It Around”, “Runaway” e “Better Leave It Out” mantém a temperatura aquecida.

“Sweet Kiss”, “Falling In Love” e “Waiting For The World To End” seguem fielmente a receita do Hard Rock 70’s e essa fórmula funcionou muito bem. “Let The Whiskey Flow” e “Sinner” soam um pouco mais modernas, porém mantendo o peso essencial. “Ciggies And Booze” conta com uma introdução marcante protagonizada por Lee Agnew e Pete Agnew, pai e filho. “Psycho Skies” mescla elementos 70’s e 80’s com impressionante vocal alto e afinadíssimo de Sentance. A guitarra de Murrison é a cereja do bolo dessa música. Antes do já citado Blues de encerramento, “You Made Me”, ainda temos “Love Breakes”, que é introduzida por um riff daquele tipo que pega na veia.

NAZARETH / Photo By: Frank Schwichtenberg

“Surving The Law” deve frequentar as listas de 2022 na categoria Hard Rock, inclusive, as do Mundo Metal. Apesar de eu não ter conseguido enxergar o Nazareth nessa obra, digo que o seu nível faz jus a linda história que o quarteto escocês escreveu na música.

Parabéns Nazareth pelo lançamento e parabéns Carl Sentance, você canta bem demais!

Nota 9,0

Integrantes:

  • Carl Sentance (vocal)
  • Jimmy Murrison (guitarra)
  • Pete Agnew (baixo)
  • Lee Agnew (bateria)

Faixas:

  1. Strange Days
  2. You Gotta Pass It Around
  3. Runaway
  4. Better Leave It Out
  5. Mind Bomb
  6. Sweet Kiss
  7. Falling In Love
  8. Waiting For The Wolrd To End
  9. Let The Whiskey Flow
  10. Sinner
  11. Ciggies And Booze
  12. Psycho Skies
  13. Love Breaks
  14. You Made Me

Redigido por: Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE
PARCEIROspot_img

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,663SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
151SeguidoresSeguir
960InscritosInscrever

Últimas Publicações