Resenha: Kiko Shred – “Rebellion” (2021)

PUBLICIDADE

Gravadora: Heavy Metal Rock

O já conhecido talento do guitarrista Kiko Shred é incontestável. Intitulado “Rebellion”, seu quarto full lenght chegou para consolidar definitivamente seu nome, não apenas como um dos melhores guitarristas brasileiros, mas um dos melhores do mundo.

A sonoridade do disco mescla elementos de Heavy Metal, Hard Rock e Power Metal, porém a pegada predominante é o Power Metal. Os solos de guitarra de Kiko têm a qualidade técnica e feeling que seus fãs já estão costumados a contemplar em seus registros. Os vocais de Ed Galdin casaram perfeitamente com as composições de Shred, sendo que sua técnica e sua interpretação como cantor impressionam. A cozinha formada pelo baixista Will Costa e pelo baterista Lucas Tagliari, que também atuou no registro anterior, “Royal Art” de 2019, executa o seu trabalho com sua já reconhecida competência. O renomado vocalista escocês Doogie White (MSG) atua e encanta na canção “Thorn Across My Heart”, que é a quinta faixa do disco.

O estilo de tocar de Kiko Shred é nitidamente influenciado em guitarristas como, Yngwie Malmsteen, Joe Satriani, Steve Vai, Vinnie Moore e discretamente, encontramos elementos que remetem a Ritchie Blackmore. Com sua capacidade técnica, o sentimento que ele impõe ao seu trabalho e essas influências notáveis, dificilmente, algum trabalho seu não resultará em extrema qualidade.

Me sinto na obrigação de elogiar a produção do full lenght. “Rebellion” foi gravado no estúdio Fuzza e Jr e masterizado no impecável Absolute Master, o qual vem atuando de forma brilhante na masterização nos últimos anos. Os instrumentos soam nítidos, os timbres foram escolhidos com absoluto bom gosto, o peso dado pela produção é ideal para a musicalidade de Kiko e não é possível apontar qualquer crítica negativa nesse sentido.

Bom, resumindo as faixas:

“Intro”, é um curto tema instrumental que tão somente serve de ponte para a próxima faixa.

“Mirror”, é o primeiro momento no qual podemos contemplar os vocais de Galdin. A canção pode ser definida como Power Metal que soa como a velha escola europeia desse cultuado subgênero do Metal. Kiko impressiona com os seus solos nesse e em muito outros momentos do registro.

“Rainbow After The Storm”, é mais acelerada e ainda mais melódica que sua antecessora. Galdin se destaca, mostrando o quão capacitado é em sua performance vocal. O solo de guitarra tem uma veia que é um misto de Vai e Satriani.

“Rebellion”, faixa que intitula o álbum, é mais cadenciada que as anteriores. Seu refrão é lindo, possuindo uma melodia impressionante desenvolvida pela voz de Ed Galdin. Seu solo de guitarra é o meu favorito desse trabalho, pois mescla ingredientes que me remetem a Blackmore / Malmsteen e que, não só por isso, me agradam demais.

A também cadenciada “Thorn Across My Heart”, que como já fora citado, conta com a participação de Doogie White nos vocais, é a música com um dos refrãos mais envolventes do disco. Destaco mais uma vez a perfeita atuação de White em sua colaboração a Kiko Shred.

O tema instrumental “Mors Non Separabit”, destaca, principalmente, as linhas de baixo de Will Costa. O trabalho de guitarra de Shred mostra o quão virtuoso ele é, porém sempre usando toda a sua capacidade em prol da alma da música que está sendo interpretada. Exibicionismo zero!

“Honour To The Fallen Brothers”, é a minha predileta do álbum. Sua melodia vocal e seus solos fazem a minha cabeça e em todas as audições que fiz e faço do “Rebellion”, nunca consigo escutá-la uma vez só.

“The Hierophant”, é o segundo tema instrumental do registro, o qual tem uma veia Fuzzion mesclada ao estilo Metal de Kiko. Os solos de guitarra impressionam tanto quanto os de “Mors Non Separabit”.

“Voodoo Queen”, tem uma pegada mais Hard Rock/AOR. Os vocais de Ed Galdin me fazem lembrar os de Andria Busic (Dr.Sin, Platina, Taffo) em alguns momentos, fato que me faz gostar ainda mais dessa canção, pois sou um grande apreciador do trabalho dos irmãos Busic.

“Information War”, encerra o quarto álbum da carreira do guitarrista Kiko Shred, “Rebellion”. Ela soa Power Metal assim como as primeiras canções do disco. A voz e Galdin faz com que eu me lembre do saudoso André Mattos, principalmente, nos momentos em que ela dobra com a gravação de mais vozes. Dizer que os solos de Kiko são destruidores é “chover no molhado”, como diz a expressão popular, porém é fato e precisa ser dito.

O registro começa bem e termina ainda melhor. Aprovado e indicado para fãs de música de qualidade, principalmente Power Metal e Metal que reúna virtuose e feeling.

Nota: 8,8

Ouça o álbum de 2019!

Integrantes:

  • Kiko Shred (guitarra)
  • Ed Galdin (vocal)
  • Will Costa (baixo)
  • Lucas Tagliari (bateria)
  • Doogie White (vocal em Thorn Across My Heart)

Faixas:

  • 1.Intro
  • 2.Mirror
  • 3.Rainbow After The Storm
  • 4.Rebellion
  • 5.Thorn Across My Heart
  • 6.Mors Non Separabit
  • 7.Honour To The Fallen Brothers
  • 8.The Hierophant
  • 9.Voodoo Queen
  • 10.Information War

Redigido por: Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE
PARCEIROspot_img

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,663SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
152SeguidoresSeguir
960InscritosInscrever

Mais Acessadas

Últimas Publicações