Resenha: Desecrator – “Summoning” (2021)

PUBLICIDADE

“Summoning” é o segundo full lenght da banda de Thrash Metal australiana, Desecrator, que foi lançado no último dia 27 de agosto, em formato independente, sendo sucessor do debut, “To the Gallows”, de 2017. O quarteto nascido em Melbourne, no ano de 2008, começou a sua carreira lançados dois EPs seguidos, “Desecrator” em 2010 e “Down To Hell” em 2013.

A sonoridade Thrash Metal do quarteto remete a escola americana do subgênero com uma pitada de Power/Thrash que faz toda a diferença no resultado final das composições. O vocalista Riley Stron, que também participa da dupla de guitarristas com Andrew Hudson, sustenta uma linha que equilibra agressividade, técnica e melodia, arriscando vibratos e algumas partes mais agudas. O já citado par responsável pelas seis cordas executa riffs simples, porém bastante variados, pesados e que pegam na veia. O mesmo pode ser dito em relação aos seus solos, acrescentando melodia e feeling aos mesmos. O baterista Jared Roberts e o baixista Gerad Biesboer carregam feito Atlas, com segurança, toda essa atmosfera intensa e repleta de soco nos tímpanos. Tem como dar errado? Absolutamente, não!

Após a pequena introdução “Raise The Dead”, a faixa título, “Summoning”, introduz o álbum em altíssimo estilo, esbanjando peso, velocidade, feeling e melodia. O refrão é pegajoso e sedutor, colocando o ouvinte no universo paralelo de sua música. Um momento de desaceleração deixa tudo ainda mais especial. Destaco os vocais de Stron. “Hate Of The First Sight” inicia mais rápida e agressiva que sua antecessora, aumentando o nível da adrenalina. Um novo break down chega para tornar a canção irresistível. A cozinha de Gerard e Jared se sobressai. Um dedilhado introduz uma das mais favoritas, “Belly Of The Beast”, que eleva os adjetivos já observados nas faixas anteriores. “Você pode me ouvir a gritar de dentro da barriga da besta? / Você pode me ouvir a gritar de dentro da barriga da besta?”.

O trabalho instrumental de “Beg, Steal And Borrow” me deixa boquiaberto. Não haveria como essa música ser melhor, ela me encanta em todos os quesitos, riffs, bateria, solos e vocais. Tudo vai de encontro com o que mais me agrada no Thrash Metal. “Wipe The Slate” traz um ar inicial de suspense, do mesmo tipo que sinto em “Rainning Blood”, porém quando a canção esquenta de fato, tudo se transforma em um jeito Desecrator de ser. “Maniac”, a qual possui uma pitada Crossover, é a mais acelerada do trabalho, se diferenciando das demais, porém ela não deixa de conter as características típicas da sonoridade da banda.

“A Light In The Dark”, homônima da música do Metal Church, começa lenta, somente com guitarra dedilhada e voz, carregando um clima sombrio. Mesmo quando baixo e bateria entram em ação, ela continua mais cadenciada, sendo quase que uma “Balada Heavy Tradicional”, acelerando bem pouco com o passar do tempo de duração da música, sendo a mais diferente dentre as dez faixas, porém muito boa dentro do contexto geral do registro. As guitarras dão show de riffs, arranjos e solos em “Smoke ‘Em If You Got ‘Em”. O som do Desecrator, apesar de suas influências já supracitadas, não se parece explicitamente com outra banda em momento algum do disco, característica essa que quando atingida, sempre, deve ser aplaudida. “The Devil You Know” encerra esse brilhante trabalho mantendo todos os ingredientes da saborosa receita que o inspirou. O Thrash Metal que começou 2021 aquém dos anos anteriores, começou a mostrar sua força, igualmente, no ano presente e ainda há muitas promessas por vir.

Se você é fã de Thrash ou Power /Thrash Metal da velha escola americana, com características mais melódicas, esse full lenght é aprovado e indicado para você. Quem esperar peso, facilmente, vai encontrar, mas se esperar uma pegada mais extrema, definitivamente, se decepcionará, pois não é esse o tipo de Thrash do Desecrator. Vale a pena cada segundo de audição.

“Você pode me ouvir a gritar de dentro da barriga da besta?”

“Você pode me ouvir a gritar de dentro da barriga da besta?”

Nota: 9,0

Integrantes:

  • Riley Strong (vocal e guitarra)
  • Andrew Hudson (guitarra)
  • Jared Roberts (bateria)
  • Gerad Biesboer (baixo)

Faixas:

  • 1.Raise The Dead
  • 2. Summoning
  • 3.Hate Of The First Sight
  • 4.Belly Of The Beast
  • 5.Beg, Steal And Borrow
  • 6.Wipe The Slate
  • 7.Maniac
  • 8.A Light In The Dark
  • 9. Smoke ‘Em If You Got ‘Em
  • 10.The Devil You Know

Redigido por Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE
PARCEIROspot_img

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,663SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
151SeguidoresSeguir
960InscritosInscrever

Últimas Publicações