PUBLICIDADE

Queen: Brian May faz linda homenagem a Jeff Beck

Com a triste passagem do lendário guitarrista Jeff Beck no último dia 10 de janeiro após contrair uma miningite bacteriana, muitos rockstars do primeiro escalão ficaram extremamente abalados.

   

Um deles foi o guitarrista do Queen, Brian May, que postou um vídeo de cinco minutos suas redes sociais onde fala do fundo do coração sobre o seu carinho por Jeff Beck. Brian disse o seguinte:

“Estou de luto hoje, e também estou relutando já que todos querem falar sobre Jeff Beck, é claro, e querem falar comigo, mas não estou com vontade de falar com a imprensa e nem com a mídia sobre isso. Acho que eu não me sinto pronto. Esta é uma perda tão extraordinária e ele era uma pessoa tão extraordinária que é difícil processar o fato de que ele não está mais aqui, além disso, não consigo processar o que eu gostaria de dizer.

Jeff era completamente e totalmente único… e era o tipo de músico impossível de se definir. Eu surgi, mas ele sempre foi um herói para mim, fazendo coisas que eu meio que sonhava fazer. Quando eu estava na escola, inclusive, ele já estava lá em cima do palco com o The Tridents e depois com o The Yardbirds. Sempre fazendo coisas extraordinárias e uma grande, grande inspiração inclusive para que eu tentasse fazer o mesmo… não o mesmo, mas me dar uma direção ou voz como ele tinha.

Se você quer ouvir a profundidade de sua emoção, de seu som e de seus fraseados e a maneira como ele pode tocar sua alma, ouça ‘Where Were You’ do álbum ‘Guitar Shop’ . Apenas pesquise ‘Where Were You Jeff Beck’ e sente-se, e ouça por quatro minutos. É inacreditável. É possivelmente a música de guitarra mais bonita já gravada, provavelmente ao lado de ‘Little Wing’ de Jimi Hendrix. Tão sensível, tão bonita, tão incrivelmente criativa e diferente de tudo que você já ouviu em qualquer outro lugar.

Sim, claro que ele teve suas influências também,mas ele trouxe uma voz incrível para a música Rock que nunca, jamais, será emulada ou igualada.

Sim, ele veio da minha área, então ele era como um garoto local. E eu o vi tocar tantas vezes sempre com o queixo no chão e pensando, ‘como ele faz isso?’. Muitas vezes penso que deve ter sido como estar perto de Mozart e ver aquele gênio incrível trabalhando e me pergunto de onde poderia ter vindo, como ele poderia ser tão bom? Se você estivesse com Jeff, se estivesse na casa dele, ele saía da garagem tendo estado embaixo de um de seus carros nas últimas horas, com os dedos cobertos de graxa e sujeira e parecendo que tinha acabado de rastejar para fora de uma vala, e ele pegava uma guitarra e saía essa música linda e sensível.

Eu acho que eu era muito tímido, eu realmente não sabia como falar com ele. Eu não conseguia segui-lo. Ele não era uma pessoa fácil para mim, talvez porque eu o admirava muito. Eu nunca estava à vontade do seu lado. E eu escrevi uma música para ele, bem, eu escrevi uma música sobre ele, chamada ‘The Guv’nor’, para um de meus álbuns solo, ‘Another World’ de 1998, e ele veio até mim aqui no estúdio, tocou comigo e nós rimos. E ele tocou coisas incríveis. Mais uma vez meu queixo caiu. Eu realmente não conseguia pegar uma guitarra quando ele estava na sala porque ele era tão incrível que eu só queria assistir e ouvir ele tocar. Então ele tocou sozinho na faixa e disse, ‘oh, sim, tanto faz’.

Acho que nunca poderia colocar em palavras exatamente o quanto o reverenciei, espero ter dado a ele alguma comprovação disso (Risos). Não sei se ele sabia. Mas sinto que não fui um bom amigo o suficiente para ele. E essa é uma das coisas que acontece, eu suponho, mas particularmente neste caso eu sinto que muitas vezes eu poderia ter telefonado para ele, e eu gostaria de ter feito isso, para ser um amigo de verdade.

Mas Jeff Beck foi tão único, tão influente em todos os guitarristas que já conheci na minha vida. A perda é incalculável. É tão triste não tê-lo mais no mundo. Ainda não consigo calcular isso na minha cabeça. Então, isso é o máximo que posso dizer no momento, receio.

Eu estava ouvindo ontem à noite meus antigos álbuns do The Yardbirds, que foi a primeira vez onnde ele meio que começou a mostrar o que ele poderia fazer, ‘Over Under Sideways Down’, ouçam isso. E ‘Shapes Of Things ‘, oh meu Deus! Quando você chega ao solo na versão Yardbirds original de ‘Shapes Of Things’, é como se algo decolasse como um foguete espacial. Ninguém nunca tinha ouvido algo assim antes. Em vez da guitarra soar como uma guitarra, parecia algo entre uma cítara e algum estranho instrumento de sopro. Apenas ouçam. Aquilo impulsionou minha mente na época. Foi uma das coisas mais importantes que me fez querer tocar guitarra como eu toco, e foi o que me fez fazer disso uma carreira. Isso sempre, sempre ficará na minha mente…

‘Shapes Of Things’, ‘Where Were You’ do álbum ‘Guitar Shop’. Mas tantas coisas incríveis que ele fez.

Ele era selvagem, não quantificável e extraordinariamente difícil de entender, mas um dos maiores gênios da guitarra que o mundo já viu e verá.

Deus te abençoe, Jeff. Sinto sua falta.”

Abaixo, o vídeo na íntegra:

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -