PUBLICIDADE

Megadeth: “no In Flames, definitivamente, me dão muito mais liberdade”, diz Chris Broderick

Em 2014, quando o guitarrista Chris Broderick saiu do Megadeth, a justificativa foi que o músico estava partindo “devido a questões artísticas e diferenças musicais.”.

   

Chris Broderick e Shawn Drover uniram forças e formaram o Act Of Defiance. Apesar de basicamente Thrash Metal, a banda possui sonoridade mais moderna e, talvez por isso, não arrebatou tantos fãs quanto era esperado. Após dois álbuns, um de 2015 assim como um de 2017, o grupo foi colocado na geladeira.

Por sua vez, Broderick continuou sua busca por liberdade criativa. Em 2019, enfim, entrou para o In Flames como músico de turnê para fazer as guitarras base. Após a pandemia, ele se juntou oficialmente à banda substituindo Niclas Engelin.

Reprodução

Em uma nova aparição ao “My 3 Questions To”, com Jonathan Montenegro, Broderick foi questionado se após dez anos desde que deixou o Megadeth, ele, finalmente, encontrou a liberdade artística que tanto queria. Broderick disse:

“Acho que eles, o In Flames, definitivamente, me dão muito mais liberdade porque posso acompanhá-los do meu próprio jeito. acho, porém, que no final do dia eles sempre escreverão um álbum que será musicalmente In Flames. E então serão eles que realmente examinarão o que entrará no disco no final, porque eles são uma das bandas originais com esse tipo de som sueco, e nada que eu pudesse fazer poderia realmente criar isso, eu adoraria acrescentar, e eles já me permitiram para fazer isso, eu adoro isso. Ao mesmo tempo, eles dizem, ‘olha, se você quiser escrever um álbum solo ou algo assim’, eu tenho a oportunidade de fazer isso também.”

Há cerca de sete anos, Chris Broderick concedeu uma entrevista ao site Ultimate-Guitar.com e falou sobre as circunstâncias que levaram à sua decisão de sair do Megadeth. Nesse sentido, ele disse:

“Eu não diria que são necessariamente diferenças artísticas e musicais, mas sim a capacidade de expressar minhas escolhas musicais e artísticas. Todo mundo sabe que o Megadeth é realmente Dave Mustaine e está tudo bem com isso.

Eu sabia que Mustaine era o capitão do navio ao entrar. Mas chega um momento em que você pensa: ‘eu fiz isso e é ótimo, mas sou um músico e artista de coração e eu preciso me expressar de outra maneira. Então, preciso ter essa saída para mim e não apenas fazer isso para apoiar outra pessoa’.”

Image by Ted Van Pelt

Opinião Mundo Metal:

No final das contas, sete anos e meio depois de sua saída do Megadeth, os dois discos em que Chris Broderick finalmente expressou suas escolhas musicais e artísticas não renderam bons frutos. Me refiro ao Act Of Defiance.

Em 2024, temos novamente Chris em uma banda que possui dono. Ele toca apenas a guitarra base e diz que está tudo bem.

Analisando friamente, Broderick pode dizer o que quiser, mas foi um péssimo negócio para ele. No Megadeth, sua visibilidade era muito maior, ele todos os solos dos outros guitarristas que passaram pela banda antes dele e ainda dividia a criação e execução dos solos nos discos em que era membro.

A vida é feita de escolhas…

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -