PUBLICIDADE

Live Review: Grave Digger no Summer Breeze 2023

Ontem foram anunciadas as datas da segunda edição do Summer Breeze Brasil, que ocorrerá no próximo ano, 26, 27 e 28 de abril, mais uma vez no Memorial da América Latina, em São Paulo/SP.

   

Também já foi disponibilizada uma promoção com 666 ingressos que valem para os três dias do evento, porém, por aqui, ainda temos assuntos pendentes sobre a edição de 2023, como por exemplo, falar sobre o show do Grave Digger no ICE STAGE.

Por volta do meio-dia do dia 30/04/2023, a banda alemã de Heavy/Power Metal, Grave Digger, iniciou o seu set, primeiramente, com a canção “Lawbreaker”, do álbum “Healed By Metal” (2017). Em seguida, foi a vez da excelente canção “Hell Is My Purgatory”, a qual foi single do disco “Symbol Of Eternity”, lançado no ano passado. O ICE STAGE estava recebendo uma banda tecnicamente preparada e que sabia com exatidão o que queria transmitir aos seus fãs presentes. Assim que “Ballad Of A Hangman”, quase homônima do registro de 2009, terminou, o frontman Chris Boltendahl indagou a plateia o estava ouvindo e ele próprio respondeu:

“As vezes”

Com bom humor, Boltendahl fez sua reclamação e a produção o atendeu brevemente! Os problemas técnicos, principalmente com o audio dos vocalistas, ocorreram algumas vezes durante o festival, mas sempre foram devidamente solucionados.

“Dia de los Muertos” do “Return of the Reaper” deu continuação ao set list, logo após, “The House” do “The Grave Digger”. Somente na sexta canção, “The Dark Sun”, é que o quarteto executou uma de suas clássicas e essa opção da banda poderia ser um problema, mas não foi, pois a vibe da galera permaneceu alta.

GRAVE DIGGER / VANESSA C. SOARES

Fica a questão, por que o Grave Digger optou por deixar muitos de seus clássicos de fora e executar faixas de discos mais recentes? Talvez foi uma tentativa de divulgar álbuns que não vingaram muito. Eu, que passei a acompanha-los a menos de uma década, não vi problema algum nisso.

A qualidade musical do guitarrista Alex Ritt, do baixista Jens Becker e do baterista Marcus Kniep, que também toca teclado, está insenta de qualquer pssível crítica. Quanto ao Chris, ele foi excelente como sempre é.

GRAVE DIGGER / VANESSA C. SOARES

Após mais duas músicas que não se destacam tanto, “Highland Farewell” e “Healed By Metal”, começou a melhor parte do show, assim sendo, três canções absolutamente clássicas foram tocadas no bloco de encerramento do set list, “Excalibur” do full lenght de mesmo nome, “Rebellion” do “The Clans Are Marching” e “Heavy Metal Breakdown”, a qual batiza o debut e eu estaria mentindo se dissesse que o bloco final não incendiou os almas metálicas presentes no Memorial da América Latina, pois a chama do Metal aumentou o seu calor, ainda mais quando Chris Boltendahl foi performar “Excalibur” no meio dos fãs.

Simplesmente, fabuloso!

Boltendahl mereceu os aplausos e todo o carinho que recebeu de seus admiradores, pois os tratou como eles merecem! Enfim, esperamos todos um Summer Breeze Brasil 2024 com excelentes bandas e ótimos shows como foi o de 2023.

Integrantes:

  • Axel Ritt (guitarra)
  • Chris Boltendahl(vocal)
  • Marcus Kniep (bateria, teclado)
  • Jens Becker (baixo)

Set List:

  • 1.Lawbreaker
  • 2.Hell Is My Purgatory
  • 3.Ballad of a Hangman
  • 4.Dia de los Muertos
  • 5.The House
  • 6.The Dark Of Sun
  • 7.Highland Farewell
  • 8.Healed By Metal
  • 9.Excalibur
  • 10.Rebellion
  • 11.Heavy Metal Breakdown
   

Redigido por: Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -