PUBLICIDADE

Resenha: Savage Blood – Downfall (2020)

“Downfall” é o full lenght de estreia do Savage Blood, banda alemã de Power/Thrash Metal da cidade de Osnabrück, que teve o seu primeiro registro, o EP homônimo, lançado no ano de 2016. “Downfall” foi disponibilizado oficialmente no dia 26 de junho de 2020.

   

O Power/Thrash Metal é um subgênero incomum que ainda causa rejeição por parte de alguns “troozaums”, porém, eu, ao contrário, cada vez mais descubro excelentes trabalhos, os quais carregam tal sonoridade. Além disso, Savage Blood é um dos exemplos mais perfeitos que encontrei para a definição do Power/Thrash que faz a minha cabeça.

Divulgação / Facebook / SAVAGE BLOOD

“Downfall”

A faixa título “Downfall” abre os trabalhos do álbum com maestria. O vocal de Peter Diersmann demonstra já nessa primeira música que é diferenciado, pois não segue padrões conhecidos nem de Power Metal e tampouco de Thrash Metal.

Peter Diersmann

Sua voz é, ao mesmo tempo, suave, afinada e tem uma agressividade própria. O refrão dessa canção, assim como o de todas as demais do disco, é fantasticamente melódico e grudento. Os guitarristas Jörg Steinhake e Timios Zouridakis sincronizam seus lindos riffs, ajudando a construir a magnífica sonoridade do Savage Blood.

Peter Diersmann / Photo By: kommodore johnsen

“Unleash The Beast”

A introdução completamente Thrash Metal de “Unleash The Beast” me empolga estratosfericamente, enquanto Diersmann dá sentido à canção com a sua interpretação que transborda feeling e musicalidade. O baterista Marc Könnecke, em conjunto com o baixista Markus “Wecker” Weckermann, mescla os ritmos que passeiam entre o Thrash, Power e Heavy Tradicional.

“Savage Blood”

A faixa que leva o nome da banda, “Savage Blood”, possui uma atmosfera épica fomentada pela interpretação vocal de Peter. O solo de guitarra é um dos melhores do full lenght. O equilíbrio entre o peso e a melodia é algo fascinante para os meus ouvidos.

“Violent Attack”

Eu arrepio em cada segundo de cada faixa e a minha mente passeia pelo o universo do Power/Thrash Metal, o qual foi descoberto por mim, muito recentemente. Chego dessa forma à canção mais pesada e brutal do disco.

Assim que “Violent Attack” começa, penso que soará completamente Thrash Metal old school pelo riff e pela letra.

“Esse é o mundo da guerra/ Pare o mundo da guerra/ Pare a guerra do mundo agora”. Porém ela vai ganhando mais elementos, tanto pesados, quanto recheados de melodia. “Nós seremos vítimas de um ataque violento (3x)/ Ataque violento”.

SAVAGE BLOOD / Photo By: kommodore johnsen

“Queen On The Run”

Ela é minha canção favorita do álbum. “Queen On The Run” dá sequencia a essa obra prima musical. Essa faixa soa mais para uma mescla entre Power e Heavy Metal, tendo o refrão divinamente elaborado. Assim sendo, temos aqui Metal altamente refinado. Aliás, é o que não falta nesse disco.

O riff inicial chega a soar como Slayer de tão avassalador. Peter Diersmann mostra a cada faixa que é um senhor de um vocalista. O refrão cantado feito hino, “Nos suamos sangue/Nós suamos sangue”, incendeia a alma cada vez que é pronunciado.

“Die In Spirit”

“Die In Spirit”, assim como sua antecessora, soa puramente Thrash Metal do mais devastador em sua introdução. A elaboração pouco mais complexa de seus riffs a torna ímpar no contexto. Se não fosse por seu estribilho melódico, seria a faixa mais puramente Thrash do disco, porém classificá-la como tal, tampouco pode ser considerado um erro.

   

A alta vibração emanada pelas canções não diminui em um único segundo sequer. Estou atônito. Nem parece que comecei a audição e já chegou à última faixa.

“Guardian Angel”

“Guardian Angel” tem a introdução mais melódica do disco, sendo o peso acrescentado em seguida. Porém, ainda assim é a música na qual mais a melodia predomina sobre o peso. Na reta final do full-lenght, o solo mais lindo do álbum é executado, apesar de curto em duração. Eu não sou capaz de verbalizar todos os elogios que essa gravação merece, mas acho que consegui externar o que sinto com a sua audição.

SAVAGE BLOOD / Photo By: Roland Konersmann

Eu me impressionei com muitos bons trabalhos, os quais foram resenhados por mim aqui, em 2020, porém, “Downfall” dos alemães do Savage Blood me agradou de uma forma diferente. Ou seja, me senti descobrindo algo novo, ainda que eu não seja um marinheiro de primeira viagem no Power/Thrash Metal.

Aprovado com mérito e indicado aos fãs de Metal e música boa, independente do gênero.

Herzlichen Glückwunsch an Savage Blood.

Nota 9,0

Integrantes:

  • Jörg Steinhake (guitarra)
  • Peter Diersmann (vocal)
  • Markus “Wecker” Weckermann (baixo e vocal)
  • Timios Zouridakis (guitarra)
  • Marc Könnecke (bateria)

Faixas:

  • 1.Downfall
  • 2.Release The Beast
  • 3.Savage Blood
  • 4.Violent Attack
  • 5.Queen On The Run
  • 6.We Sweat Blood
  • 7.Die In Spirit
  • 8.Guardian Angel

Redigido por Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -