PUBLICIDADE

Entombed A.D. – Bowels Of Earth (2019) LG Petrov (R.I.P)

Ainda na disputa pelo nome originário da banda, Entombed A.D. lançou o seu terceiro full-lenght, “Bowels Of Earth” em 2019, fazendo jus à tradicional escola sueca do subgênero Death Metal. Mais um álbum que não vai sair tão cedo da play list dos amantes do Metal da morte.

   

“Torment Remains”, que inicia o disco, tem um riff tão poderoso, que sozinha já teria feito com que a audição tivesse valido à pena. Ela, indubitavelmente, esteve entre as dez melhores canções de Death Metal de 2019, e é daquelas faixas que obrigatoriamente têm de fazer parte do set list nos shows.

“Elimination” / “Hell Is My Home”

“Elimination” não tem um riff tão marcante, porém sua variação de andamento a faz quase tão especial quanto à primeira. Os guitarristas Nico Elgstrand e o mineiro Guilherme Miranda fazem, ao mesmo tempo, riffs e solos envolventes, com qualidade técnica. Em “Hell is my Home” é possível comprovar que a qualidade de absolutamente todos os músicos é evidente e inquestionável. L-G Petrov tem um gutural nítido e raivoso, enquanto Olle Dahlstedt impressiona, tocando com a mesma garra que os melhores bateristas de Death Metal.

A canção que intitula o disco tem uma pequena introdução de teclado, mas logo ganha uma pegada de Thrash Metal anos 80, no melhor estilo “Slayer, Postmorten”, o que a torna uma divisora de águas no contexto do disco.

“Bourbon Nightmare”

Os guitarristas dão outro show à parte nessa música. “Bourbon Nightmare” persiste com a pegada Thrash/Death vinda já de sua antecessora, assim sendo, o álbum ganha uma dinâmica interessante com essa mudança, levando a audição para um universo inesperado.

Reprodução / Facebook / ENTOMBED A.D.

“Fit For A King” começa novamente a trazer o Death à tona, porém ainda sem abandonar o Thrash por completo. Uma canção, em boa parte de sua duração, mais acelerada em relação às duas anteriores, assim como recheada de riffs sombrios. A faixa “Worlds Apart”, definitivamente, resgata a tônica inicial de peso e velocidade, assim como a próxima, “Through The Eyes Of The Gods”.

Entombed A.D ainda tinha cartas nas mangas. “I’ll Never Get Out Of This World Alive”, penúltima faixa do disco, tem uma pitada HC/Crossover que a diferencia das demais. O álbum finaliza com “To Eternal Night”, uma canção bem mais lenta, contudo com o gutural de Petrov mantendo a sua intensidade.

Essa faixa não chega a ser ruim, mas é totalmente desnecessária na sonoridade do full-lenght. Ela não compromete o álbum como um todo, porém teria sido melhor que encerrasse na música anterior.

Reprodução / Facebook / Entombed A.D. / LG PETROV (R.I.P 3/7/2021)

Death Metal mostrou alguns valores em 2019. “Vltimas”, “Misery Index”, “Hate”, “Malevolent Creation”, “Possessed”, entre outros, lançaram discos, alguns bons, outros ótimos e incríveis. Os suecos do Entombed A.D. entraram pra esse seleto time e frequentaram as listas de melhores do ano na categoria Death Metal. Ouçam e comprovem a fim de confirmar essa minha afirmação.

“Bowels Of Earth” foi o último full lenght gravado por L-G Petrov antes de seu falecimento, que ocorrera em 7 de março de 2021, com apenas 49 anos.

Nota: 8,8

Integrantes:

  • L-G Petrov (vocal) (R.I.P)
  • Olle Dahlstedt (bateria)
  • Nico Elgstrand (guitarra)
  • Guilherme Miranda (guitarra)

Faixas:

  • 1.Torment Remains
  • 2.Elimination
  • 3.Hell Is My Home
  • 4.Bowels Of Earth
  • 5.Bourbon Nightmare
  • 6.Fit For A King
  • 7.Worlds Apart
  • 8.Through The Eyes Of The Gods
  • 9.I’ll Never Get Out Of This World Alive
  • 10.To Eternal Night
   

Redigido por Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -