Indicação: Black Hawk– “Destination Hell” (2020)

PUBLICIDADE

Eis que surge o sétimo filho da banda de Heavy Metal alemã, Black Hawk. “Destination Hell”, lançado no dia 13 de março de 2020, é o sucessor do álbum “End Of The World” de 2017, o qual eu também tive o prazer de resenhar. A sonoridade da banda não muda, segue sendo aquele Heavy tradicional sincero, bom de ouvir e fácil de assimilar. Com duas audições, os refrãos já estão todos grudados na mente.

A matadora “Hate” abre o álbum chutando a porta da frente. Uma canção veloz e com um riff arrasador. Quando a voz de Udo Bethke surge, qualquer um que admire a banda, já sabe que se trata do Black Hawk. Os solos de Wolfgang Tewes têm um toque muito pessoal. A faixa título é tão destruidora quanto à primeira, embora seja um pouco menos acelerada. Seu refrão é altamente pegajoso. Matt Mess, que infelizmente deixou a banda após a conclusão do álbum, comanda o ritmo através de seu acompanhamento preciso e seus repiques brutais.

Divulgação / Facebook / BLACK HAWK

“Smoking Guns” dá continuidade ao trabalho, mantendo o alto nível das primeiras músicas. O riff dela é a ainda mais intenso que o de suas antecessoras e o mesmo pode-se dizer em relação aos solos de Wolfgang. “Time” é a menos veloz do disco até então, porém pesada da mesma forma. A canção é, completamente, sedutora, acelerando o ritmo durante o solo de guitarra, fato que a torna ainda mais interessante. “Voices From The Dark” tem o refrão mais lindo do disco. Você pode pensar que estou falando muito sobre os refrãos e é verdade, realmente estou, mas não tenho o porquê esconder a empolgação que eles me causam, pois é um melhor que o outro.

“The Eyes Of The Beast” mostra toda a personalidade sonora do Black Hawk. Sim, eles têm bastante personalidade, apesar de terem um som claramente influenciado nos anos oitenta, a banda tem um jeito só dela de produzir o Heavy Metal tradicional. Ademais, essa faixa tem um solo de guitarra viajante. “Speed Ride”, como o nome ligeiramente sugere, retoma a velocidade das primeiras músicas do álbum. O full-lenght “Destination Hell” é uma audição tão agradável, que realmente parece um passeio rápido. A balada “Bleeding Heart” é uma das cerejas desse bolo. Udo Bethke tem excelentes interpretações vocais em todas as faixas, porém ele parece ser um especialista em baladas, como por exemplo, a linda “Seven Years Of Pain” do disco “Straight To Hell” de 2010.

BLACK HAWK / On Stage / Reprodução / Facebook

“Under Horizon” tem uma pegada Hard’N’Heavy , a qual veio a calhar na sequencia de uma bela balada. Black Hawk sempre mantém uma veia Hard Rock em seu trabalho. Antes que eu me esqueça, a produção do disco é muito elogiável. Os timbres e equalização de modo geral me agradaram bastante. O álbum se encerra com a canção “Masters Of Metal”, cuja letra homenageia grandes nomes do Heavy Metal e Hard Rock, Saxon, Ac/Dc, Judas Priest, Motörhead, Led Zeppelin, entre outros.

Eu avalio o disco “Destination Hell” como um pouco melhor que o anterior, “End Of The World”. Mas uma vez tive a honra de resenhar o disco dessa banda tão especial pra mim.

Indico a todos os apaixonados por Heavy tradicional.

Nota 8,8

Integrantes:

  • Wolfgang Tewes – (guitarra)
  • Udo Bethke – (vocal)
  • Michael “Zottel” Wiekenberg – (baixo)
  • Matt Mess – (bateria)

Faixas:

1.Hate
2.Destination Hell
3.Smoking Guns
4.Time
5.Voices From The Dark
6.The Eye Of The Beast
7.Speed Ride
8.Bleeding Heart
9.Under Horizon
10.Masters Of Metal

Redigido por Cristiano “Big Head” Ruiz

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE
PARCEIROspot_img

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,663SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
151SeguidoresSeguir
960InscritosInscrever

Últimas Publicações