PUBLICIDADE

Há 42 anos, o Maiden “roubava” o contrato do Angel Witch com a EMI e partia rumo ao estrelato

O Iron Maiden foi fundado em 1975 e podemos afirmar que os primeiros anos não foram nada promissores. Muitos ajustes foram feitos na musicalidade da banda e, principalmente, na formação, diversos integrantes entraram e saíram acrescentando pouco ou quase nada. Entre 1976 e 1977, as coisas ficaram realmente ruins e até mesmo Dave Murray chegou a sair da banda para tocar no Urchin, de Adrian Smith, além disso, perderam o vocalista Dennis Wilcock e as coisas começaram a desandar.

Alguns fatores fizeram com que o castelo de Steve Harris não ruísse e quase todos foram fruto de decisões acertadas do próprio Harris. O primeiro deles foi a perseverança do músico, que fez o enfrentamento de todos os problemas de forma acertada, mostrando-se obstinado e resolvendo ponto a ponto a maior parte das questões que impediam o Maiden de crescer. No final de 77, passaram cerca de seis meses ensaiando sem parar como um trio e mantiveram-se na ativa quase como uma premonição de que precisariam estar tinindo quando “o vocalista” aparecesse. E ele apareceu. O segundo fator foi, obviamente, o surgimento de Paul Di’Anno, em 1978. Este foi um passo fundamental e decisivo para que a banda ganhasse notoriedade. O terceiro ponto foi Steve Harris aceitar um cara oriundo do Punk, já que o Iron Maiden renegava veementemente o estilo e Paul Di’Anno era muito influenciado por este movimento, inclusive, desfilava com camisetas do Ramones, Sex Pistols e The Clash para cima e para baixo. O quarto e último fator foi a visão empresarial de Harris desde o início, pois mesmo com a banda pouco produtiva até ali, já mantinha conversas recorrentes com Rod Smallwood e tinha a visão que precisaria de um manager ligado a indústria da música se quisesse chegar a algum lugar.

   
Reprodução

Bem, podemos dizer que em 1978 o jogo virou para a Donzela. Com o Heavy Metal ressurgindo timidamente ainda e com as influências Punk de Paul Di’Anno, o Maiden definiu uma sonoridade muito própria e registrou isso em uma das demo tapes mais conhecidas da história do Rock/Metal. “The Soundhouse Tapes” chamou realmente a atenção fazendo com que Neal Kay, conhecido DJ de Heavy Metal da época, listasse o grupo com um dos melhores da atualidade. Nesta época, Rod Smallwood e Andy Tailor fundaram a Sanctuary Management e as conversas com Steve Harris se intensificaram. Segundo Rod:

“Steve encontrou alguém cuja taxa de trabalho e crença eram iguais às suas.”

(referindo-se a si próprio)

Smallwood ainda fez o seguinte comentário:

“Eu imaginei uma banda como o Zeppelin, tocando em grandes campos em todo o mundo. E quando vi a forma com que Steve se dedicava a isso, pensei, está aqui o meu Jimmy Page.”

Gozando de popularidade no meio underground, Rod e Steve precisavam de um contrato. Enquanto Steve focava na parte musical e domava Paul Di’Anno o quanto podia, Rod fazia a sua parte nos bastidores. O empresário fez um verdadeiro estardalhaço para chamar a atenção dos figurões das gravadoras e fazê-los ir a dois shows que foram marcados nas proximidades do famoso Hammersmith Odeon.

Reprodução

Reza a lenda que Brian Shepherd, da EMI, sequer iria aos shows do Maiden. O fato é que a gravadora tinha o Angel Witch como prioridade total e, inclusive, já havia custeado os dois primeiros singles da banda. Acontece que o desempenho desses dois singles foram muito abaixo do que a empresa esperava e Brian, por intuição, resolveu ir assistir a um novo show do Angel Witch para se certificar de que estavam apostando certo e na banda certa. Ele saiu desapontado pois achou a performance do vocalista Kevin Heybourne muito timida e sem punch. Foi então que resolveu aceitar o convite de Rod Smallwood para assistir o Iron Maiden.

É claro que Kevin Heybourne desmente tudo isso (confesso que eu também desmentiria). Segundo o vocalista do Angel Witch:

“Na verdade, fomos uma das últimas bandas a assinar do resto do grupo da NWOBHM, mas recebemos uma oferta da EMI. Porém, eu não queria assinar com eles, principalmente porque o Maiden já tinha assinado. Os outros caras da banda realmente queriam esse caminho, mas o nosso empresário na época disse: ‘Vocês realmente querem estar sob a sombra de uma banda que já foi contratada por eles?’ O Maiden tinha um grande negócio. Então nos afastamos da EMI. Eu não me arrependo. Você não pode voltar atrás e mudar o ocorrido.”

Kevin nunca gostou dessa história, mas para o azar dele, foi ela que ficou amplamente conhecida por todos nos bastidores da época. No final das contas, o Angel Witch lançou o seu debut via Bronze Records. Mas voltando ao que interessa, se Brian Shepherd saiu desanimado do show do Angel Witch, no show do Iron Maiden os seus olhos brilharam.

Lembra que lá no começo do texto, eu mencionei que um dos fatores principais para o sucesso do Maiden era a visão empresarial de Steve Harris? Pois é, juntamente com Rod, Steve aproveitou o interesse da EMI e negociou um contrato vantajoso para o Iron Maiden que garantia o lançamento de, pelo menos, três discos de estúdio. No contrato, havia especificada uma cláusula que impedia a gravadora de rescindir antes do terceiro álbum. Uma outra clausula que Steve Harris não abriu mão foi a de não interferência da gravadora na sonoridade da banda, os músicos tinham que ter liberdade total para compor e gravar o que quisessem. O acordo foi fechado em 12 de novembro de 1979 e concretizado formalmente no dia 20 de novembro.

Reprodução

Para os três discos, a EMI estipulou uma quantia de 50 mil libras. Rod Smallwood traçou uma estratégia arriscada com Steve Harris e pediu adiantamento de 35 mil libras para usar na gravação, divulgação e turnê do debut, deixando apenas 15 mil para o segundo registro e nada para o terceiro. A idéia era que com o investimento feito no primeiro e no segundo álbum, quando chegasse a hora de gravar o terceiro a banda já estaria capitalizando. E caso não estivesse, Rod negociaria um aumento de contrato. Como todos sabem, o plano deu muito certo e foi seguido a risca.

Steve Harris menciona:

“Eu e o Rod realmente subsidiamos muitas coisas. Eu escrevi todas as músicas, praticamente, e não tirei um centavo disso. E Rod não aceitou nenhuma comissão. Isso mostra compromisso. É como qualquer negócio – não tínhamos garantia de que conseguiríamos qualquer tipo de dinheiro com isso. Mas nunca foi por dinheiro. Só queríamos ser uma big band.”

O debut homônimo foi lançado em 14 de abril de 1980, vendeu 350 mil cópias e alcançou a quarta posição nas paradas do Reino Unido. Os números impressionaram a gravadora e o Maiden foi excursionar com o Kiss. Gene Simmons ficou ficou boquiaberto com o que viu nesta turnê e comentou:

“O Maiden imediatamente me pareceu possuir um enorme potencial. A banda era musical e poderosa: uma combinação rara. E sendo o Porco Capitalista que sou, o mascote Eddie me pareceu um ícone visual que compraria casas grandes para todos na banda.”

Acertou, miserável!

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Veja também

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PARCEIROspot_img

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
222SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações