PUBLICIDADE

Curiosidade: você sabia que Ozzy Osbourne teve um anão chamado “Ronnie, The Dwarf”?

A curiosidade de hoje irá nos remeter aos anos de 1981 e 1982, passando pelas turnês dos discos “Speak Of The Devil” e “Diary Of A Madman”, de Ozzy Osbourne. O vocalista havia contratado um anão que era utilizado por Ozzy durante os seus shows ao vivo, este anão se chamava Edward Allen, o qual Ozzy colocou o apelido de “Ronnie, The Dwarf” (Ronnie, o anão), em referência direta ao baixinho Ronnie James Dio, que cantava no Black Sabbath nesta época. Além das contribuições de Edward Allen nos shows ao vivo de Ozzy, ele também aparece dentro da capa do álbum “Speak Of The Devil” (foto de capa).

Ronnie era “enforcado” preso à um laço de corda durante a performance de “Goodbye To Romance”, ele também levava toalhas e bebidas para Ozzy durante o show. O anão John Alllen Edward era um ator de teatro que nasceu na Inglaterra, em Southhampton, Hampshire, em 27 de março de 1950, ele sonhava fazer sucesso em Nova Iorque. Ele finalmente começou a almejar o que queria fazendo apresentações em musicais off-Broadway; chegou inclusive, a fazer um show para Jimmy Carter na Casa Branca. Allen também fez carreira no cinema e esteve no filme de John Carpenter, de 1978, “Os olhos de Laura Mars” e também no filme “Blade Runner – O Caçador de Andróides”, de 1982.

   

Apesar da carreira de Allen parecer caminhar bem naquele momento, ele era viciado em álcool e, após começar a trabalhar com Ozzy, o problema foi se agravando. Certa vez, quando Ozzy cedia uma entrevista do lado de fora do ônibus de sua turnê, Allen chegou bêbado e tropeçando, o que deixou Ozzy irritado, fazendo-o agarrar o anão pelos braços e jogá-lo dentro do compartimento de bagagem do ônibus. Ozzy ficou encostado na porta para não permitir que Allen saísse. O fato foi relatado em um artigo encontrado no dangerousminds.net. O jornalista recuou em choque e depois gaguejou para Osbourne dizendo-lhe que seu tratamento com Allen foi desnecessário. Ozzy supostamente respondeu dizendo que poderia fazer “o que quisesse com ele” porque era “meu anão”. Após esta proclamação bizarra, a voz de Allen surgiu do compartimento de bagagem dizendo: “Ele está certo, você sabe. Eu sou o anão dele e ele pode fazer o que quiser comigo… ”

Ozzy estava mergulhado no consumo de álcool e drogas, e Allen acabou seguindo o mesmo comportamento durante toda a turnê. Ele foi demitido por Ozzy ao final da turnê e seguiu seu caminho até que, cometeu suicídio por overdose em 1999, aos 49 anos.

Redigido por Flávia Gonçalves

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
236SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -