PUBLICIDADE

Cannibal Corpse: “é minha performance mais intensa fisicamente”, diz baterista sobre novo álbum

A clássica banda de Death Metal da Flórida, Cannibal Corpse, lançará seu 15º álbum de estúdio, “Violence Unimagined”, no dia 16 de abril pela Metal Blade Records. Já conhecidos pela técnica extrema que trazem a cada disco, em “Violence Unimagined”, os membros da banda se aprimoraram ainda mais, particularmente, na bateria de Paul Mazurkiewicz. Em declarações ao canal KNAC.COM, Mazurkiewicz afirmou: “Então, realmente, eu apenas tive que me esforçar para aprender as músicas, colocá-las em pé de igualdade e tocá-las da melhor forma possível. Ironicamente, também, por ser o ano mais difícil que provavelmente já foi, nós passamos um pouco menos de tempo escrevendo do que normalmente fazemos. Normalmente nos dedicamos cerca de seis meses ou mais para escrever e preparar tudo, só depois disso que vamos para o estúdio. Desta vez, tivemos um pouco menos tempo, acho que foi cerca de quatro, quatro meses e meio, cinco meses no máximo. Foi um pouco mais compacto, o que torna tudo ainda mais difícil. Então você percebe, Jesus, aquele mês extra sempre foi fundamental. Acho que ter um período de tempo mais curto antes de entrarmos no estúdio realmente me fez não ter escolha a não ser por muito mais pressão em cima do trabalho. Então, sim, isso é tudo que você pode fazer. continuar pressionando até chegar nos resultados que quer.”

Reprodução/Divulgação

Nesta mesma entrevista, o baterista explicou o quão difícil e técnico será o novo álbum: “É um disco bem difícil. Acho que foi minha performance de bateria mais intensa fisicamente e depois a mais difícil mentalmente. Não é como se fosse ficando mais fácil dessa forma, há algumas coisas bem malucas para se aprender aqui. Mas trata-se apenas de fazer as coisas diárias que você faz há anos e, obviamente, estamos envelhecendo, então não vai ser tão natural como quando você era mais jovem. Naquela época, você tem a adrenalina e a energia natural de quando você tem 20, 30 anos ou o que quer que seja. Então foi muito mais prática, na verdade, aliás, muito mais prática, muito mais esforço, muito mais trabalho extra para malhar um pouco mais, mais alguns exercícios e outras coisas, e, realmente, apenas tentar fazer todas aqueles coisas difíceis. E então tem a parte que venho fazendo há anos que é tentar comer direito, comer o melhor que posso, descansar, beber muita água e todas as coisas que você deve fazer em geral para se manter saudável e em forma e tudo o mais. Mas, realmente, tudo se resume a apenas ter que trabalhar mais nesse disco, colocar algumas horas extras, colocar os minutos extras, o que for preciso, porque não está ficando mais fácil com o passar dos anos.”

   

A entrevista completa se encontra abaixo:

Erik Rutan, um dos guitarristas mais aclamados do subgênero, conhecido por ter sido membro do Morbid Angel nos anos 90 e início dos anos 2000, além de ser vocalista e guitarrista do Hate Eternal, foi o guitarrista e produtor em “Violence Unimagined”, que foi gravado em seu estúdio Mana em St. Petersburg, Flórida. Rutan já havia produzido outros álbuns do Cannibal Corpse, Goatwhore, Soilent Green e Belphegor. Ele acompanha o Cannibal Corpse ao vivo desde 2019, e em 2020 tornou-se membro oficial, contribuindo, inclusive, no processo de composição do novo disco. O primeiro single se chama “Inhumane Harvest” e até o lançamento, mais uma faixa será disponibilizada para audição. Ouça:

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PARCEIROspot_img

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
194SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações