PUBLICIDADE

Black Sabbath: “éramos diferentes. Eu sabia que causaríamos alguns problemas”, diz Bill Ward sobre os primórdios do Sabbath

Na nova edição da Metal Hammer, a lenda da bateria do Black Sabbath, Bill Ward, compartilhou suas memórias sobre o surgimento da banda que mais tarde seria considerada os “pais do Heavy Metal”.

   

 Ele relata como os Beatles ergueram a tocha para toda a cena musical britânica na década de 1960, forçando novas bandas – incluindo o Sabbath – a encontrar sua própria voz. Acompanhe:

“Os Beatles eram tão bons que muitos de nós tentamos imitar isso”, admite o baterista. “Lembro-me de que os Beatles lançaram o single de estreia ‘Love Me Do’ por volta de 1962 e logo depois Johnny Neal e The Starliners, verdadeiros rock ‘n’ rollers influenciados pela música dos anos 50. Foi a onda das bandas de Liverpool que apareceu que chutou a bunda de todo mundo, e todas as grandes cidades tiveram que se adaptar e fazer seu próprio cenário.”

“Desde o início, o Sabbath foi como uma ruptura com o passado.

“Quando terminamos os ensaios do Black Sabbath no centro comunitário de Aston”, lembra ele, “tive um sentimento interior me dizendo algumas coisas; éramos diferentes e não importava se nos tornássemos famosos. Eu sabia que o que tínhamos feito causaria alguns problemas, mas também nos rendeu um grande afeto e estou muito orgulhoso disso.”

“O Black Sabbath era tão unido que tínhamos os mesmos sonhos”, disse o baterista. “Acontece quando você está em uma sala passando coisas um para o outro musicalmente o dia todo, então acabaríamos tendo sonhos semelhantes. Um dos sonhos que tivemos foi ser visitado por um padre, ou um espectro, e eu apenas vi isso como um anjo da guarda.

“Eu amo fantasmas – sou uma pessoa fantasma e tenho sido a maior parte da minha vida.

Bill também afirmou que está em paz com seus velhos amigos e o legado da banda.

“Eu amo esses caras”, diz ele. “Passei pelos momentos de raiva que aconteceram em 2012 e cheguei a um lugar em que estou em paz comigo mesmo e com eles. Estou feliz por termos feito o que fizemos, e muitas vezes perco a memória com o trabalho inicial que fizemos em Copenhague e a Reeperbahn em Hamburgo. Eu amo esses caras e todas as imperfeições que vêm com isso. É uma sensação ótima ter vindo tão longe quanto nós, e estou feliz em poder escrever ou falar com eles se eu quiser.”

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,583SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
261SeguidoresSeguir
1,151InscritosInscrever

Últimas Publicações

- PUBLICIDADE -