Álbuns Injustiçados: Randy – The Complete Anthology (1983 – 2019)

PUBLICIDADE

Gravadora: Independente

Eu gosto bastante de apresentar bandas que se tornaram injustiçadas pelo tempo/desconhecimento das pessoas. Revisando algumas coisas que eu escrevi no passado, eu encontrei um pequeno texto de uma análise feita sobre uma banda que com toda certeza faria a diferença se não tivesse sido injustiçada na época. Claro, a década de 80 não era fácil você conhecer tudo, mas mesmo assim, os dinamarqueses do Randy com toda certeza mereciam ser lembrados nesta série. Como infelizmente a banana não chegou a lançar um disco completo, escolhi fazer uma análise completa de sua discografia, ou seja, demos e compilações.

O fato é que se as coisas tivessem tomado um rumo diferente, provavelmente, hoje a banda ainda estaria na ativa. Sobre a mesma, podemos dizer que se trata de um trio que executava um Heavy Metal puro e excepcional. O som totalmente cru e “datado” de um charme a mais para essa beleza sonora. Literalmente, Randy nasceu clássica. Mas devido a infortúnios, acabou por desaparecer nos deixando apenas um single (86), duas demos (87/92), e duas compilações em 2011 e 2019 (pela No Remorse).

O que me deixa mais pensativo é o fato de o single e as demos terem uma classe e uma força absurda, com músicas grudentas, maravilhosas, bem cantadas, simples e mesmo assim permanecerem no submundo das injustiças temporais. Falando sobre as faixas do single, “Shadows Are Falling”, que possui um som único, calmo e destruidor, uma base característica de Heavy Metal clássico, um vocal leve e presente, um petardo único! E a canção “The Beast”, que foi pela qual conheci a banda, aqui o arranjo se torna perfeito para os amantes de Metal tradicional, simples, conciso e direto ao ponto. Um som como esse, não pode passar batido facilmente.

A primeiro demo, que veio um ano após o lançamento do Single, possui 7 lindas músicas, com a mesma qualidade do single, com destaque para “Razor’s Edge”, que possui um riff extraordinário, e uma ambientação que literalmente envolve o ouvinte e te prende em um loop magnífico. O refrão grudento faz qualquer ouvinte cantar em alto e bom som sem se envergonhar.

Em 1987 é lançado a demo sem título, com 7 faixas, apresentando suas novas composições. Por se tratar de demo, ouvimos um som sujo, mas de qualidade. Já em 92, a banda lança a segunda, “End of The Raimbow”, que com apenas algumas mudanças (saída de um membro), apresenta um trio mais maduro. Contendo quatro músicas apenas, o destaque vai para “End of The Rainbow” e “Rock n’ Roll Symphony” que são canções com uma pegada mais pesada e rápida que as anteriores, porém mantendo a classe da sonoridade. Aqui vemos que a banda amadureceu bastante com o passar dos anos, até mesmo os vocais de Jørgen estão mais firmes, os solos (executados pelo mesmo) são mais precisos e técnicos, o baixo mais presente e uma bateria mais trabalhada. A terceira faixa, “Hideaway”, é uma baladinha, mais calma, porém com a mesma classe da canção antecessora. E para finalizar, temos um excelente cover de “The Temple Of The King” do Rainbow.

Randy encerra as atividades no ano seguinte, por motivos desconhecidos. Em 2010, através do selo “No Remorse Records”, é lançado a compilação “Randy”, com as músicas (claro, agora remasterizadas) do single de 86 e dos Demos de 87 e 92, além de alguns registros ao vivo. Mas em 2019, a No Remorse lançou “The Complete Anthology” um cd duplo contendo todas as composições lançadas pela banda. É interessante que nas notas dessa e até mesmo na audição do compacto, conseguimos perceber um trabalho mais cuidadoso em obras como “The Razor’s Edge”, “The Beast”, “It’s Got to Be Loved” e “Rock N’ Roll Symphony”. Elas parecem, em alguns momentos, terem sidos regravadas em estúdio. Isso acende a chama de uma possível reunião e enfim o lançamento de um full lenght? O cd 2 da compilação de 2019 conta ainda com algumas músicas ao vivo, dentre elas, títulos que até então não haviam sido apresentados ao público. Além de dois belos covers de UFO e Whitesnake.

Oficialmente, o trio segue inativo, o que é triste para os fãs de boa música. Mas, dentro do mesmo cesto que o Randy nasceu, diversas outras bandas permanecem injustiçadas pelo poder do tempo.

  • Nota: 8,5
  • Integrantes:
  • Brian Andersen (guitarra e baixo)
  • Jørgen Viftrup (vocais e guitarra)
  • Søren (bateria)
  • Jim Jensen (baixo)
  • Torben Pape (bateria)
  • Jan Buller (guitarra)
  • Faixas:
  • Disco 1
  • 1.Shadows Are Falling
  • 2.The Beast
  • 3.Rock ‘n’ Roll Symphony
  • 4.End of the Rainbow
  • 5.Hideaway
  • 6.Temple of the King (Rainbow cover)
  • 7.C’mon Let’s Rock
  • 8.Nightmare
  • 9.The Razor’s Edge
  • 10.It’s Got to Be Loved
  • 11.Victim of the Night
  • 12.Who’s Got the Power
  • 13.Don’t Look Back
  • Disco 2
  • 1.Victim of the Night
  • 2.On the Highway
  • 3.In the Still of the Night
  • 4.Need You No More
  • 5.Danish Girls
  • 6.Lovely Days
  • 7.Ain’t No Good
  • 8.Nightmare
  • 9.Pretty Girl
  • 10.Rock ‘n’ Roll Boys
  • 11.Victim of the Night
  • 12.Natural Thing (UFO cover)
  • 13.Black ‘n’ Blue (Whitesnake cover)
  • Redigido por: Yurian ‘Dollynho’ Paiva

PUBLICIDADE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Veja também

PUBLICIDADE
PARCEIROspot_img

Redes Sociais

30,849FãsCurtir
8,663SeguidoresSeguir
197SeguidoresSeguir
151SeguidoresSeguir
960InscritosInscrever

Últimas Publicações